Prefeitura de Mauá pediu desculpas aos munícipes de Ribeirão. (Foto: Reprodução)

Relatos de demora no atendimento a pelo menos duas ocorrências foram divulgados essa semana pelo DiárioRP. O primeiro caso, na terça-feira(10), onde um menino de 10 anos após sofrer uma convulsão, precisou ser encaminhado ao pronto atendimento em veículo particular depois de 20 minutos de espera pela ambulância do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O outro caso aconteceu no mesmo dia, um senhor foi atropelado na rua Capitão José Galo e o tempo de espera pela ambulância também ultrapassou 25 minutos.

continua após a publicidade

A responsabilidade pela coordenação dos atendimentos de urgência aos munícipes de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra é o SAMU Regional de Mauá.

De acordo com a Prefeitura de Mauá, a Secretaria de Saúde do município passou nos últimos 5 meses por desabastecimentos de serviços. O motivo que a atual gestão alega é que durante a gestão interina de Alaíde Damo não houve planejamento ao descredenciar a FUABC (Fundação do Grande ABC), responsável pelo SAMU Regional.

Ainda em nota, informou que o prefeito Atila Jacomussi já acelerou a retomada emergencial dos serviços de saúde pela FUABC.

Vale lembrar que, no início de Setembro foi divulgado pela entidade que o Paço municipal de Mauá tem uma dívida de R$ 160,6 milhões, referente a serviços prestados e não pagos pelo Paço mauaense nos últimos anos. Por outro lado, a Prefeitura não reconhece o valor com a alegação de que não há comprovação dos serviços que estão sob cobrança.

FUABC moveu uma ação que corre no Ministério Público. Sendo assim, o serviço de atendimento do SAMU em Ribeirão Pires, dependerá dos acordos e novas políticas públicas prometidas por Atila Jacomussi ao setor.

A Prefeitura de Mauá finalizou pedindo desculpas aos munícipes pelos transtornos e garante o restabelecimento do serviço o mais breve possível.