blank

O prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSDB) não desistiu de tentar anular a decisão que o condenou em primeira e segunda instância por improbidade administrativa. De acordo com a Lei da Ficha Limpa, condenados em segunda instância são considerados inelegíveis, ou seja, não podem ser candidatos.

Apenas durante a campanha eleitoral deste ano, Teixeira já tentou pelo menos três manobras jurídicas para tentar anular a condenação, e dessa forma conseguir se candidatar à reeleição. No entanto, ele não vem tendo sucesso em sua empreitada e todas as tentativas deram errado e o peessedebista teve os pedidos negados, permanecendo a condenação em segunda instância, ou seja, mantendo Kiko inapto para disputar as eleições deste ano.

Continua Após a Publicidade

O Ministério Público Eleitoral já entrou com um pedido de impugnação da candidatura de Teixeira, que deve ser apreciado pela justiça nos próximos dias. De acordo com o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os pedidos de candidatura devem ser avaliados pelas instâncias ordinárias até dia 26 de outubro, o que torna mais difícil as chances que Kiko tenha sucesso em sua empreitada, e muito provavelmente deva indicar um substituto para disputar em seu lugar.

Kiko no entanto, finge que que está tudo bem como se nada tivesse ocorrendo e ele estivesse em uma situação normal, o que tem desesperado os apoiadores de Teixeira e até mesmo o atual vice-prefeito, Gabriel Eid Roncon (PTB), que tem feito reuniões com seu bloco de apoiadores para tentar entender o que deve fazer.

Dedé, seu atual apoiador, prega que Gabriel deve dar um “ultimato” em Kiko para que ele renuncie a candidatura e que o vice seja o nome. No entanto, outros grupos também se articulam para ser o principal nome, como Greco (PSDB) e Lair (Avante), já que Roncon tem tido um desempenho pífio nas pesquisas internas que vêm sendo realizadas.