Na quinta-feira (7), os vereadores de Ribeirão Pires mostraram repúdio à afirmação de Akira Auriani (PSB) quanto à ausência dos parlamentares de Ribeirão Pires na audiência pública ocorrida na segunda-feira (4) em Rio Grande da Serra.

Na ocasião, Akira informou que os vereadores foram convidados para o debate sobre os impactos da implantação do Centro Logístico Campo Grande na região, porém nenhum compareceu.

Akira criticou a ausência dos vereadores tanto de Ribeirão Pires quanto de Santo André e ainda qualificou a atitude dos políticos como “omissão”.

Continua Após a Publicidade

Com isso, uma onda de ataques contra Akira se deu na Câmara, a começar pelo presidente da casa Archeson Pedroza Rato (PTB), que declarou não ter recebido um convite formal para o evento, como manda o protocolo.

“Não fomos convidados”, disse em seguida Rubão Fernandes (PSD). Rogério do Açougue (PSB), também partiu em defesa dos parlamentares dizendo que o ato de Akira foi “desnecessário”.

Amaury Dias (PV), se declarou amigo pessoal de Akira, no entanto, discordou da atitude do político, e acrescentou que o vereador tinha conhecimento de que ele atuaria no horário como professor na ETEC de Rio Grande, e por esse motivo, seria impossível marcar presença no debate.

Por fim, Amigão D’Orto (PTC), se defendeu dizendo que Akira “deveria se preocupar mais com problemas ambientais da cidade dele, antes de criticar”.

Em defesa, o vereador Akira Auriani relatou que além de enviar o convite formal a mais de 20 dias, entrou em contato com os políticos também através de ligações e redes sociais.

O Centro Logístico Campo Grande trata-se de um empreendimento que pode vir a ser construído na região de Paranapiacaba a fim de servir como integração para os modais ferroviários e rodoviários. Estudos apresentados na audiência pública comandada por Akira, demonstraram os impactos sociais e ambientais que o empreendimento poderá causar na região de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.