blank

Pais de alunos matriculados no SESI em Ribeirão Pires, denunciaram o fato de que a instituição não abrirá vagas para o primeiro ano do Ensino Fundamental, em 2020.

Segundo os responsáveis pelas crianças, é a primeira vez que isso acontece, uma vez que alguns deles já estudaram no local e nunca presenciaram tal situação.

Continua Após a Publicidade

“Minha filha estuda lá e meu filho iria para a primeira série ano que vem, mas não abriram vagas para alunos novos.”, disse Lilian Ferreira, mãe de uma aluna.

Questionado, o SESI declarou: “Com o impedimento da doação do terreno da Fábrica de Sal ao SESI, ficou reduzida a perspectiva de manutenção de uma escola no município. Dessa forma, considerando que estamos em espaço locado e ainda sem terrenos disponíveis, manteremos o atendimento aos alunos já matriculados e não abriremos turmas para o primeiro ano do Ensino Fundamental.”

Em contato com a Prefeitura, o DiárioRP questionou quanto à doação do terreno. A Prefeitura esclarece que desde 2017 o município trabalha para viabilizar parceria com o SESI para a implantação de nova unidade.

Como alternativa, por lei municipal, a Prefeitura doou ao SESI imóvel em que está instalado o edifício tombado da Fábrica de Sal, para a construção de uma nova unidade escolar no Município.

Em contrapartida à doação, conforme constou na lei, o SESI promoveria a restauração da Fábrica de Sal. Todo o investimento do SESI (unidade escolar e restauração), giraria em torno de 30 milhões de reais.

No entanto, a doação não foi concretizada até o momento em razão da instauração de Inquérito Civil junto à Promotoria de Justiça local.