blank

Na última segunda-feira (23), houve seis denúncias à Polícia Civil da cidade por pessoas que teriam sido vítimas de estelionato. Dentre os diversos casos, o popular “golpe do malote” voltou a fazer mais uma vítima em Ribeirão Pires. Uma senhora com 61 anos havia ido até a agência de um banco na Rua Miguel Prisco. Chegando lá, sacou a quantia de R$ 550,00. Ao sair da agência, uma mulher teria abordado a vítima e questionado se um documento, que estava no chão, seria dela. Logo em seguida, uma segunda estelionatária chegou até as duas mulheres e informou que o documento seria dela e prometeu uma recompensa. No entanto em um momento uma das estelionatárias pede que a vítima deixe sua bolsa com elas. É quando elas fogem com todos os pertences da vítima. Esse tipo de crime vem acontecendo diariamente na cidade, e até agora ninguém foi preso.

Um outro caso aconteceu em uma outra agência bancária, também na Rua Miguel Prisco. Um cliente do banco entregou seu envelope de depósito com a quantia de R$ 700,00 para um indivíduo que se passava por funcionário. O falso funcionários trocou o envelope com dinheiro por um outro vazio. Mais tarde, suspeitando que teria caído em um golpe, a vítima voltou para conferir e foi surpreendida com a informação que o depósito teria sido realizado com um envelope vazio.

Continua Após a Publicidade

Em outro crime, uma idosa recebeu a ligação de bandidos na intenção de confirmar uma suposta compra em Osasco no valor de R$ 1.800,00. A vítima, no entanto, negou que tinha realizado alguma compra. Foi então que o homem, pelo telefone, a orientou que deveria escrever uma carta de próprio punho solicitando o cancelamento de seu cartão e, em seguida, digitar a senha nos teclados do telefone. posteriormente, um motoboy iria até a residência da senhora para retirar o cartão.

Também por telefone, criminosos fingindo ser funcionários de um banco, usaram da greve dos correios para induzir um jovem a passar dados de seu cartão, e em seguida a vítima consultando o extrato, notou que havia compras não reconhecidas por ele, juntas, somando em torno de R$ 700,00.

Além disso, uma outra pessoa foi vítima de uma falsa venda de celular em uma rede social. A jovem, de 22 anos, teria depositado o valor de R$ 939,00, que seria referente a metade do valor do aparelho escolhido. No entanto, o responsável pelo perfil na rede social nunca enviou o equipamento à vítima. Procurada por nossa equipe pelo instagram, a loja Sea outlet Cel (@seaoutletcel) não respondeu nossos questionamentos sobre o caso.

Questionada por nossa equipe sobre estratégias e ações para combater crimes de estelionato em Ribeirão Pires, que vêm ocorrendo com grande frequência, a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) não respondeu nossos questionamentos até a publicação desta matéria.