O Prêmio Educador Nota 10, maior e mais importante prêmio da Educação Básica Brasileira, já tem seus 50 finalistas. A lista, revelada no último sábado (6), conta com um projeto de Ribeirão Pires (SP). Dayane Martin Silva, da EE Professora Judith Ferreira Piva, está na disputa pelo título da 22ª edição. Foram quase cinco mil projetos inscritos, que passaram pelo olhar criterioso da Academia de Selecionadores no último mês.

Os trabalhos contaram com a avaliação dos Selecionadores – grandes especialistas em didáticas específicas, pesquisadores das principais universidades do país, orientadores de graduação e pós-graduação, além de formadores de gestores e de professores em suas respectivas disciplinas. Além da leitura dos cases, foram realizadas entrevistas com os educadores e solicitados materiais para a comprovação dos avanços de aprendizagem dos estudantes em suas escolas.  

Entre os projetos selecionados, 11 são de Língua Portuguesa, seis de Matemática, seis de Educação Infantil, quatro de História, quatro de Artes, quatro de Educação Física, três de Geografia, três de Língua Estrangeira, três trabalhos conduzidos por diretores e dois de Gestão. Sociologia, Biologia, Ciências e Filosofia, tiveram selecionados um trabalho cada. Por ciclo educacional, são 16 do Ensino Fundamental 1, 12 do Ensino Fundamental 2, 11 do Ensino Médio e seis da Educação Infantil. A região do país melhor representada entre os finalistas é a Sudeste, com 26 projetos (18 de São Paulo, seis do Rio de Janeiro, um de Minas Gerais e um do Espírito Santo), seguida pelo Sul e pelo Nordeste.

O projeto da professora Dayane

Uma sugestão do currículo oficial – o trabalho com o gênero fábula – fez a professora Dayane selecionar material didático para ampliar o repertório dos alunos e elaborar uma sequência de atividades com desafios e objetivos diferentes para cada etapa.

Desde o início, ela compartilhou com a turma que a intenção era escreverem um livro para ser lido por crianças dos 4ºs e 5ºs anos de duas escolas próximas. Sabendo de dificuldades de leitura de cada criança da turma, por conta de uma avaliação minuciosa entregue pela secretaria, ela organizou grupos produtivos para que pudessem superá-las. Os alunos produziram diferentes versões dos textos e a professora fez observações pertinentes em cada um.

Após a revisão da escrita das produções finais, eles foram orientados a fazer, individualmente, um desenho que refletisse a ideia de suas próprias fábulas. Além disso, houve um concurso para o melhor desenho para a capa. Uma editora publicou as três coletâneas de fábulas – uma para cada sala de Dayane –, que foram lançadas com tarde de autógrafos e lidas para crianças mais novas em uma escola vizinha.

Dayane dissse que é uma honra estar entre os finalistas, mas que é mais gratificante ver os alunos aprendendo. “É uma honra estar no top 50, ver meu trabalho sendo reconhecido e valorizado, mas mais importante é saber que aprendemos todos os dias e eu aprendi muito nesse projeto, junto com meus alunos. Eles são a minha maior motivação”, disse.

Reconhecimento e premiação

À parte de toda a atenção da mídia e de sua valorização como profissional que contribuiu para o aprendizado dos alunos, cada um dos 50 finalistas recebe uma assinatura anual do site que dá acesso à plataforma NOVA ESCOLA DIGITAL, além de outros conteúdos e um certificado de participação. Eles também aguardam com ansiedade a seleção do top 10, que acontece na próxima semana.

Cada um dos 10 vencedores do Prêmio Educador Nota 10 ganha um vale-presente no valor de R$ 15 mil, além de todas as despesas pagas para participar de uma semana de imersão e da cerimônia de premiação, marcada para setembro, em São Paulo. O Educador do Ano, escolhido pela Academia de Jurados, recebe outro vale-presente no valor de R$ 15 mil. As escolas dos professores vencedores também ganham uma verba para a celebração.