USP Imagens

O resultado econômico do trimestre foi fortemente impactado pela greve dos caminhoneiros, que começou em maio e manteve rodovias fechadas por 11 dias.

Economistas apontam que o efeito negativo da greve sobre a economia do período foi bastante significativo, e indicam ainda outros fatores que já vinham puxando o desempenho para baixo, como as dúvidas em relação à velocidade da recuperação da economia, o cenário eleitoral incerto e a piora das condições externas.

Sem ter como escoar a produção, muitos produtores rurais jogaram fora produtos como leite, e houve também quem decidiu sacrificar animais por causa da falta de ração. Além do agronegócio, os setores da indústria e do comércio também foram impactados.

No mês seguinte à greve, os indicadores mostraram uma tendência de recuperação, mas os impactos da greve se juntaram às outras incertezas da economia no impacto ao PIB do trimestre. Diversos órgãos, bancos e consultorias reduziram suas expectativas de crescimento do PIB no ano como um todo.

No entanto, para os próximos meses os economistas esperam que a recuperação da economia ganhe força.

Créditos: G1