indices
Estatísticas criminais subiram nas duas cidades. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)

Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra registraram aumento no número de crimes nos últimos doze meses. Só em Ribeirão Pires no ano de 2016, entre homicídios dolosos (quando há intenção de matar), homicídios culposos (quando não há intenção de matar), latrocínio (roubo seguido de morte), estupros, roubos, roubos de veículos, roubo a banco, roubo de cargas, furtos e furto de veículos, foram registrados mais de 2200 boletins de ocorrência. Os dados foram divulgados pela Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP)

As estatísticas se tornam alarmantes, se levarmos em consideração, que apenas 11 itens de uma lista de 20 situações foram citados no início da matéria. Se formos comparar a totalidade dos anos de 2015 e 2016, o índice de criminalidade subiu uma média de 0.85%. Em 2015, foram registradas 2679 ocorrências na Delegacia de Polícia da cidade, enquanto em 2016, 2702 situações de crimes aconteceram e foram registradas em Ribeirão Pires, sem contar aquelas em que as vítimas, por medo não prestaram queixa.

Os dados se tornam muito mais expressivos, quando destacamos alguns deles, como, por exemplo, os casos de estupro. 2016 registrou 21 estupros confirmados, quatro a mais do que o ano anterior.

É importante frisar que os índices que mais vezes colaboraram para o aumento do percentual de crimes, foram os roubos e furtos. O furto de veículos é o terceiro da lista na cidade.

Rio Grande da Serra também entrou para as estatísticas com aumento no cenário. A cidade vizinha registrou, em 2016, 676 crimes. No ano anterior, foram 689 boletins de ocorrência, um aumento de 1.92%. Apesar do número expressivamente menor do que Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra teve aumento proporcionalmente superior no número de ações criminosas.

O item com maior representatividade na lista foi o de furtos. Foram 267 casos. Em 2015, esse mesmo ponto registrava cinco ações a menos. Estupros aconteceram 18 vezes em 2016 contra 14 em 2015.

Os roubos ocupam o segundo lugar de maiores infrações na cidade; neste item é preciso analisar que roubos a cargas foram inclusos. A mesma regra se aplicou a Ribeirão Pires.