Por Rafael Ventura.
Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

No último domingo, 8, foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, momento em que as mulheres de todo o mundo são homenageadas por sua importância, e pelo respeito que conquistaram na sociedade.

Elas vêm tomando espaço no mercado de trabalho e conquistando cada vez mais direitos equiparados aos dos homens. Na política, porém, o clima não parece ser tão acolhedor assim, pelo menos aqui no Brasil: no Congresso Nacional, as mulheres não ocupam nem 20% das cadeiras, segundo a União Interparlamentar.

Nesse quesito, o país fica abaixo de países do Oriente Médio no ranking que mede o espaço de mulheres no poder político. As taxas brasileiras ficam abaixo da média mundial, que chega a ser de 22,1% de mulheres ocupando cadeiras nos parlamentos, e da média do Oriente Médio, que é de 16%.

Em Ribeirão Pires, as mulheres correspondem a 17% da Câmara Municipal, totalizando três cadeiras no Legislativo Municipal.

Untitled-1Para a vereadora Diva do Posto (PR), essa situação é ruim, pois, muitas vezes, homens e mulheres pensam e agem de modo diferente, o que poderia enriquecer as discussões:

“A mulher enxerga mais longe que o homem. E a gente é muito tocada pelo coração e, depois, pela razão. Eu acho que isso é um ponto positivo para a mulher.”.

IMG_44521Já para a vereadora Berê do Posto (PMN), a mulher ainda é muito hostilizada e desacreditada, muitas vezes, por outras mulheres:

“Muitas vezes, por ser submissa, elas [as mulheres] não têm direito de aceitar as coisas, de ir em uma reunião, de vir em uma sessão na Câmara, muitas vezes não sabem nem o caminho… Ainda há muito espaço para se conquistar.”.

IMG_3497Segundo a vereadora Cléo Meira (PTN), a pouca representatividade feminina no Legislativo vai muito além: a ausência da mulher nesse cenário seria decorrência da grande quantidade de funções que ela cumula no dia a dia, como trabalhar, cuidar do lar e dos filhos:

“Mais de 40% das mulheres são arrimo de família. A política precisa de tempo, o que impede que as mulheres ingressem.”.

Dos 190 países presentes no ranking mencionado acima, o Brasil ocupa a posição 116, ficando atrás da Jordânia, Síria, Líbia, Iraque, Emirados Árabes, Afeganistão e Arábia Saudita – conhecidos por negar às mulheres direitos básicos conquistados pelas brasileiras há décadas.

Não poderíamos deixar uma data como esta passar sem ser lembrada, especialmente porque o Diário de Ribeirão Pires conta com uma quantidade considerável de leitoras e colaboradoras mulheres. Assim, o Diário parabeniza a todas as mulheres pelo seu dia, e deseja às legisladoras municipais muito sucesso na condução dos trabalhos, que, visivelmente, ainda é uma exceção, dentro de um ambiente predominantemente marcado pela presença masculina.

Às mulheres, nossas homenagens!