blank

O vereador e presidente da Câmara de Ribeirão Pires, Rato Teixeira (PTB), está barrando a tramitação do processo que pede a instauração de uma CPI da Saúde para investigar a Santa Casa de Birigui, empresa contratada pela Prefeitura da cidade para administrar a saúde do município.

A empresa é investigada pelo Ministério Público e a Polícia Civil por fraudes e desvios bilionários nas cidades onde atua. Ribeirão Pires também é alvo da investigação, e inclusive foi uma das cidades com mandados de busca e apreensão.

Continua Após a Publicidade

Em RP, policiais estiveram na UPA da cidade e apreenderam pelo menos um notebook e diversos documentos que podem comprovar fraudes e desvios de dinheiro público da área da saúde. O irmão do ex-secretário de saúde, e atual candidato a vereador, Gerson Constantino, chegou a ser preso na operação.

O pedido de abertura de CPI foi protocolado pelo vereador Amigão D’orto (PSB), logo após a deflagração da Operação raio-X, que levou os policiais à UPA. “Na semana passada fizemos pedido para instaurar uma comissão que investigue a terceirizada, Santa Casa de Birigui. Estou recebendo cobranças para saber o que a casa vai fazer em relação ao ocorrido na cidade. Pessoas foram presas e a Santa Casa continua operando no nosso município. Qual vai ser a postura da casa e a resposta do senhor, presidente? Está em suas mãos”, afirmou Amigão, durante sessão na semana passada.

Rato Teixeira, no entanto, que é sobrinho do atual prefeito da cidade, Kiko Teixeira (PSDB), tem dificultado o trâmite e travou o processo de prosseguimento da CPI. Procurado por nossa equipe, o vereador Rato Teixeira não retornou nossos contatos para se pronunciar sobre o assunto.