blank

Funcionários da Santa Casa de Birigui têm sido pressionados para votar em Kiko Teixeira se quiserem continuar nos cargos. A denúncia chegou a redação do DiárioRP, após funcionários serem demitidos.

De acordo com Amanda Silva (nome fictício para proteger a identidade da denunciante), ela mora em outra cidade e trabalhava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Em janeiro deste ano, ela foi questionada se queria se manter no cargo, com a resposta positiva, ela recebeu a receita de como poderia manter o emprego: Transferir o Título Eleitoral para Ribeirão Pires e se filiar em um dos partidos de sustentação de Kiko Teixeira.

Continua Após a Publicidade

Nas conversas enviadas pela denunciante para provar a denúncia, um funcionário ensina como fraudar os documentos para que, mesmo não morando na cidade, ela consiga transferir o título: “A conta não precisa estar em seu nome. A dona da conta pode fazer uma declaração de próprio punho dizendo que você mora neste endereço”, se referindo ao comprovante de residência, que é obrigatório para a mudança. “Eles vão querer ver seu título. E eu acho que você vai ter que se filiar ao partido.”, continuou.

Amanda chegou a dar entrada para mudar o título, mas não dentro do prazo estipulado, e nem chegou a se filiar no partido, e acabou sendo demitida.

Ainda segundo a denunciante, as ordens para a mudança vem do próprio secretário de saúde da cidade, João Gabriel Vieira, que negou e afirmou que a denúncia é infundada. Já a Prefeitura de Ribeirão Pires não se manifestou.