O Tribunal de Justiça do Piauí concedeu liberdade ao morador de Ribeirão Pires, Daniel dos Santos (40), que estava preso desde o dia 2 por um crime que não cometeu. Um outro homem havia sido preso com o documento de Daniel, mas a fisionomia da foto era completamente diferente do morador de Ribeirão Pires. Além disso, familiares do homem afirmam que ele nunca foi até o outro estado.

De acordo com a família, um homem, que ainda não foi identificado, usou documentos falsos ao ser preso depois de um roubo. Sem saber disso, Santos foi julgado e condenado a 4 anos de prisão em 2013. A defesa conseguiu juntar provas de que ele estava trabalhando em uma indústria de móveis em São Caetano na data do crime e também no mesmo período em que o falso Daniel esteve preso naquele estado.

Continua Após a Publicidade

Nesta quinta-feira (16), a notícia de que o Desembargador Edvaldo Pereira de Moura, da Primeira Vara da Comarca de Floriano (PI) concedeu liberdade ao homem, trouxe conforto à sua família. No despacho, o magistrado afirma que as características físicas do homem que cometeu o crime não são nada similares com a de Daniel, e concede liberdade a ele. “Consultando detidamente os autos, constata-se que existem discrepâncias entre a identificação visual do requerente e do mencionado réu, bem como de sua assinatura, constante em diversos atos do processo, além do fato de que, nas oportunidades em que foi ouvido, ele menciona ser natural de diferentes cidades no Estado de São Paulo. Além disso, conforme se vê dos documentos acostados, notadamente dos cartões de ponto e do seu demonstrativo de salário, no período em que o réu esteve preso aqui no Piauí – de setembro de 2010 a fevereiro de 2011 – o requerente aparenta ter estado em São Paulo, trabalhando diariamente numa indústria de móveis pré-fabricados”, disse Moura.

A família de Santos foi até o Presídio de Franco da Rocha para acompanhar a soltura do homem, que deve acontecer ainda hoje, e trazê-lo de volta para sua casa, em Ribeirão Pires.