O prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSDB) não quer pagar a contribuição previdenciária dos funcionários públicos da prefeitura de Ribeirão Pires referente aos meses de março e dezembro de 2020. Kiko criou um projeto de lei e enviou à Câmara Municipal para que os vereadores autorizem que a prefeitura pare de recolher a contribuição. Desde março o pagamento já não está sendo efetuado e agora, o prefeito quer legalizar a falta do pagamento.

A justificativa do prefeito é que, por conta da pandemia do novo Cornoavírus, a cidade teve problemas com a receita e o setor financeiro. No entanto, Teixeira continua gastando com obras que são importante para tentar a reeleição e com funcionários comissionados. Por mês, são mais de R$ 2 milhões gastos com funcionários em cargo de comissão, ou seja pessoas contratadas por questões políticas por conta do apoio ao prefeito.

Continua Após a Publicidade

O projeto deve ir a pauta na próxima quinta-feira ( 11) e precisa que 12 vereadores votem a favor para que seja aprovada. Ainda de acordo com o projeto, o pagamento seria feito somente em 2022. Um calote no pagamento da previdência pode fazer com que as contas do prefeito não sejam aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado, e que ele responda por improbidade.