blank

Em meio a Pandemia do Coronavírus (Sars-Cov-2), diversos brasileiros que viajavam pelo exterior ficaram presos devido ao caos que se estabeleceu nas companhias aéreas, onde diversos vôos foram cancelados. Um morador de Ribeirão Pires está entre esses brasileiros. Yan Formizani está preso na Thailândia sem poder voltar para casa desde o dia 1 de março.

Yan chegou na Thailândia em um momento que não esperava-se que o novo Coronavírus se transformasse nesta grande pandemia que o mundo vive nos dias atuais. Quando ele chegou no país, havia festas nas ruas e o movimento de turistas era grande.

Continua Após a Publicidade

No entanto, o que era pra ser uma viagem tranquila e divertida começou a tomar novos rumos a partir do dia 13, quando a passagem de retorno para o Brasil programada para o dia 27, foi cancelada pela companhia aérea. Por não ter mais vaga em hospedagens, o ribeirão-pirense decidiu ir viajar por outras cidades do país. No entanto, um dia ele foi atacado por um cachorro, e por recomendação médica, não pode mais entrar nas aguas das praias, o que fez que ele voltasse para a capital, Bankok.

Formizani ainda conseguiu que a passagem fosse remarcada para o dia 28 de março, mas ao chegar ao aeroporto, teve uma grande surpresa. Ele não poderia embarcar pois a china acabara de fechar as fronteiras para estrangeiros, e o vôo faria uma escala no país.

Nesse meio tempo, a Embaixada Brasileira em Bankok até tentou fretar um vôo para repatriar os brasileiros que estão no país. No entanto, cada um deveria desembolsar 10 mil reais para embarcar, e a ideia não teve aceitação, até porque boa parte das pessoas que estão no país já estão com a saúde financeira comprometida e o vôo acabou sendo cancelada por falta de aderência a ideia.

Remarcando novamente o vôo para 2 de abril, ele descobriu quando já estava no aeroporto que a companhia havia cancelado novamente. Desta vez, como já não havia mais transporte público para voltar à cidade, ele foi obrigado a dormir no chão do aeroporto.

Agora, o Jovem de 27 anos está no aguardo de uma nova promessa de vôo para o dia 4 de abril, enquanto isso, vê seus recursos financeiros se esgotarem. O pouco de dinheiro que resta, obteve de ajuda da Embaixada Brasileira, mas não é o suficiente. “Eu to economizando comida porque eu tenho que pagar o hostel. Então eu tento dormir até mais tarde, aí eu economizo o dinheiro do café da manhã e já almoço direto”.

Além de Yan, outros 160 brasileiros também aguardam a oportunidade de voltar para casa. Questionado por nossa equipe sobre planos para a repatriação dos brasileiros na Thailândia, o Itamaraty informou que a Embaixada do Brasil em Bangkok recebeu instrução do Ministério das Relações Exteriores para coordenar esforços no sentido de viabilizar voo fretado para repatriação dos brasileiros retidos na Tailândia, Laos e Camboja. Ainda não está confirmada a autorização de contratação do voo pelo governo brasileiro, pois estão sendo estudadas as formas mais eficientes de realizar a operação. Da mesma forma, não há previsão de datas, mas considera-se que uma possível confirmação oficial ainda levará dias. Os esforços da Embaixada pela possível repatriação visam incluir todos os brasileiros retidos na Tailândia, Laos e Camboja. Já a AirChina, não foi encontrada.

Veja abaixo, o vídeo com o depoimento do Brasileiro: