blank

Em meio a crise do Coronavírus, o prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSDB), deve promover nos próximos dias, Ricardo Orsini, que atropelou e matou o senhor José Andrade, popularmente conhecido como Zé do Bigode. Orsini responde a um inquérito para apurar as circunstâncias do atropelamento.

Orsini Já tem passagem pela Justiça. Ele foi preso em 2010, quando era secretário em Rio Grande da Serra, e discutiu com um oficial de justiça, impedindo que ele cumprisse um mandado de busca e apreensão. Kiko também era prefeito da cidade vizinha na época.

Continua Após a Publicidade

Familiares da vítima, que também era funcionária da prefeitura, foram consolados por Orsini, sem que eles soubesses que ele foi o autor do atropelamento. Para os familiares e colegas próximos, ele disse que estava passando pelo local no momento do acidente e que havia parado para socorrer a vítima. Somente após a repercussão na imprensa que os familiares souberam da autoria de Orsini, que agora deve subir de cargo na prefeitura a partir da próxima semana. Após o atropelamento, ele “guardou” o carro do acidente dentro do Parque Municipal, e só foi descoberto pela Imprensa.

Com a chegada do período eleitoral, o atual secretário de Serviços urbanos, Diogo Manera (PSDB), deve se afastar do cargo para disputar uma cadeira da Câmara Municipal. Orsini, será então, nomeado por Kiko a partir do dia 4 de abril. Não é a primeira vez que Kiko bate o pé frente a escândalos de seu secretariado. Apenas na Secretaria de Comunicação foram dois, com pessoas diferentes. Um do então secretário João Mancuso, que foi acusado de perseguição por uma garota e outro de Márcio marques, que contratou um cliente de sua empresa para prestar serviços à Prefeitura.