O pai de uma criança de sete anos que tem transtorno de Déficit de Atenção (TDH) denunciou à Polícia que um funcionário da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ribeirão Pires entregou caixas de remédios vencidos para utilizar no tratamento de seu filho.

No Boletim de Ocorrência, o pai da criança ainda informou que o valor do medicamento é elevado e ele não tem condições de comprar. Por conta disso, entrou com uma ação na justiça para conseguir o medicamento pela Sistema Único de Saúde (SUS). O Juiz deferiu o pedido do responsável pela criança em Outubro deste ano.

Já em novembro, o pai foi até a UPA e conseguiu retirar uma caixa do medicamento, agendando com a própria unidade para retirar mais duas caixas alguns dias depois. Quando o homem foi abrir uma das caixas para dar medicamentos ao filho, percebeu que duas delas já haviam passado da data de validade.

Continua Após a Publicidade

No boletim de ocorrênca, ele ainda informa que tentou realizar a troca na unidade de saúde, mas o funcionário não quis informar se haviam novos medicamentos para a troca e só pediu para que o pai da vítima entregasse os que já haviam vencido para ele. Suspeitando, ele preferiu levar os medicamentos à Polícia e fazer um Boletim de Ocorrência. Os medicamentos foram apreendidos e encaminhados para perícia. Agora, caberá ao juíz do caso decidir sobre a situação.

Procurada, a Prefeitura de Ribeirão Pires informou que o caso está sendo apurado para que sejam tomadas as devidas providências, e que munícipes que tenham esse tipo de problema, podem procurar a secretária de saúde através da Ouvidoria.