Na sessão da Câmara dos Vereadores da última quinta-feira (3), o projeto de Lei da Ficha Limpa, vetado pelo jurídico da Prefeitura de Ribeirão Pires, entrou em votação na ordem do dia.

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

De acordo com o projeto de autoria do Vereador Danilo da Casa da Sopa (PSB), comissionados com a possibilidade de contrato no município, não poderiam ter em seu nome nenhuma condenação em segunda instância. Ou seja, quando um processo já julgado, passa para análise dos desembargadores do Tribunal de Justiça.

Uma vez condenado nesse segundo exame dos desembargadores, os candidatos à cargos comissionados ficariam impedidos de serem contratados.

Em duas votações anteriores, projeto havia sido aprovado, mas o Prefeito vetou. Durante a sessão da última semana, apenas sete vereadores foram contrários ao veto do prefeito.

Anselmo Martins (PR), Amigão D’orto (PTC), Rubão (PSD), Rogério do Açougue (PSB), Danilo da Casa da Sopa (PSB), Paulo César (PMDB) e Amaury Dias (PV) votaram de forma favorável à implantação da Lei da Ficha Limpa.

Após o encerramento da votação, o público presente solicitou ao Presidente da Câmara, Vereador Rato Teixeira, que voltasse à tela com os resultados dos votos. Rato disse não ser possível voltar após a mudança do item de discussão, gerando gritos de descontentamento por parte dos munícipes presentes.

Amaury Dias (PV), líder de Governo dentro da Casa de Leis, reafirmou seu compromisso com a população, justificando a mudança do seu voto contrário nas últimas sessões, para favorável após ouvir a solicitação dos seus eleitores.

Assumindo a palavra, Danilo ressaltou a importância da Lei para a transparência junto à população.

Os vereadores que votaram contra a Lei da Ficha Limpa para comissionados foram: Arnaldo Sapateiro, Rato Teixeira, Carlinhos Trindade, Banha, Silvino de Castro, Zé Nelson, Paixão, Gê do Aliança, Edmar Aerocar e João Lessa que estava passando mal durante a sessão, indo embora após a Ordem do Dia se esgotar.