Em 04 de setembro, o TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), julgou como irregulares as contas de 2018 do IMPRERP (Instituto Municipal de Previdência de Ribeirão Pires).

Continua Após a Publicidade

O IMPRERP foi criado em 2002, sendo responsável por conceder as aposentadorias e pensões aos beneficiários.

O instituto é fiscalizado pelo Tribunal de Contas, Ministério Público e Ministério da Previdência Social, conforme a legislação vigente.

Na decisão, uma série de irregularidades foram apontadas. Dentre elas, a inoperância por parte do Conselho Fiscal do Imprerp, onde apenas um membro do Conselho esteve presente na aprovação das Demonstrações Financeiras dos anos de 2016 e 2017.

De acordo com a defesa, a participação dos conselheiros é historicamente mínima. Dessa forma, desde 2014 o cenário permanece o mesmo por parte do Conselho Fiscal e Administrativo e nada mudou em 2018.

Em 2015 as contas também foram julgadas irregulares de acordo com o Diário Oficial do Estado de São Paulo datado de 28/07/2017.

O documento do TCE, apontou ainda que o Conselho de Administração permaneceu com sua composição incompleta em 2018. Ficando em desacordo com o art. 14 da Lei Municipal nº 5.751/13

A Prefeitura poderá recorrer da Decisão.