Campanha acontece durante o mês de Setembro. (Foto: Divulgação)

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Em 2015, o movimento foi criado pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria).

A proposta é associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro).

continua após a publicidade

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. A prevenção é o fator fundamental para reverter o quadro, garantindo a ajuda e atenção adequadas. É necessário falar sobre o assunto, quebrar tabus e compartilhar informações.

Pensando em tirar o assunto da invisibilidade e abrir caminhos para a educação, a Secretaria de Saúde, durante todo o mês, promove ações de prevenção ao suicídio. Rodas de conversa, caminhada, atrações culturais e palestra fazem parte da programação, voltada especialmente aos usuários da rede municipal de saúde mental e seus familiares.

É importante salientar a necessidade de um acompanhamento de especialistas e o apoio às pessoas que enfrentam problemas de saúde como a depressão entre outras causas que podem provocar o ato.
“Nos últimos anos, as questões que envolvem o suicídio passaram a ser discutidas com muito mais cuidado, quebrando tabus e mostrando que problemas como a depressão são, sim, delicados e precisam ser acompanhados por profissionais especializados. Em nossa rede de saúde municipal, oferecemos serviços gratuitos de acolhimento, diagnóstico, orientação e tratamento para moradores que precisam desse suporte para enfrentar e superar o problema”, explicou a secretária de Saúde de Ribeirão Pires, Patrícia Freitas.

Durante todo o mês, profissionais dos Centros de Apoio Psicossociais (CAPS) – Infantil, Adulto e Álcool e Drogas – realizarão rodas de conversa com os pacientes para conversar sobre o assunto.

No dia 17, os moradores atendidos no CAPS II (Adulto) participarão de caminhada por vias da região central da cidade.

Já no dia 26, a partir das 9h30, a Vila do Doce (Rua Boa Vista, S/N – Centro) sediará oficina musical com pacientes dos CAPS e familiares. A atividade será aberta a toda a população, como forma de promover a integração e a quebra de preconceitos.