De acordo com dados do Atlas da Violência 2019, divulgado ontem (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Ribeirão Pires figura entre as 30 cidades mais seguras do Brasil. O levantamento, que analisa dados de 2017 de 310 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes, mostra que, à exceção de Santo André e Mauá, as outras sete cidades do ABC me­lhoraram colocação no ran­king nacional que leva em conta a taxa de homicídios (número de casos/100 mil habitantes).

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

Ribeirão Pires foi uma das cidades que mais ganhou posições no ranking. Em 2016 ocupava apenas a 91ª colocação, com 25 homicídios e um índice de 20,6 casos por 100 mil habitantes. Já em 2017, pulou para 28ª posição, com 13 registros e taxa de 10,8, uma queda de 47,6%. No ABC, Ribeirão fica atrás apenas de São Caetano do Sul, que figura na 13ª posição no ranking, com 13 casos e uma taxa de 7,9 por 100 mil habitantes. Santo André, mesmo tendo uma queda em números de homicídios (175 em 2016 e 156 em 2017), perdeu uma posição no ranking, caindo da 115ª para a 116ª posição.

Investimentos na segurança

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A Prefeitura de Ribeirão Pires investe, desde 2017, no fortalecimento das ações de combate à criminalidade. Em março deste ano, a Guarda Civil Municipal ganhou novas viaturas equipadas para o trabalho da ROMU.

A segurança na região central do comércio foi reforçada com a entrega de nova base 24h da GCM no calçadão situado entre o Terminal Rodoviário, a Estação de Trem e o Posto Atende Fácil da cidade. O município ganhou, ainda, nova Central de Videomonitoramento Integrado da GCM – que dá suporte à fiscalização das polícias Civil e Militar e de agentes de Trânsito do município.

Além disso, a cidade ganhou, também nesse ano, a incorporação de novos Vigilantes Patrimoniais ao efetivo da Guarda Civil Municipal.