A sessão ordinária desta quinta-feira (28), foi marcada por críticas de boa parte dos vereadores com as duas concessionárias de luz da cidade. A Enel Distribuição, que cuida do fornecimento de energia da cidade, e a Ribeirão Luz, que toma conta da iluminação pública.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A primeira pauta foi a Enel. A empresa vem sofrendo diversas críticas devido à falta de luz na cidade e na região do ABC, assim como em bairros de São Paulo . Bairros como a Santa Luzia e a Vila Sueli chegaram a ficar três dias sem luz. O presidente da Câmara, Archerson Teixeira – Rato (PTB), apresentou um requerimento de repúdio a empresa. O vereador Humerto D’Orto (PTC), disse que “a empresa trata com descaso o município” e chegou a cogitar uma audiência pública. Danilo da Casa de Sopa (PSB), agradeceu a concessionário por religar a luz na Vila Sueli, mas disse que é uma “imoralidade” deixarem as pessoas sem luz por dias. O vereador Rogério Luiz (PSB) também pediu esclarecimentos a autarquia.

Amaury e Amigão fizeram críticas as concessionárias de luz que prestam serviços na cidade. (Foto: João Damásio/DiárioRP)

A segunda que recebeu duras críticas foi a Ribeirão Luz. A empresa que presta serviços desde a gestão do ex-prefeito Saulo Benevides, teve seu contrato renovado na nova gestão. O vereador Arnaldo Sapateiro (PSB), criticou o fato de 26 lâmpadas estarem queimadas na avenida Princesa Izabel, no Parque Aliança. O vereador Paixão PSB) disse que a “empresa é uma porcaria” e que “espera que ela nunca mais volte a cidade”. Já o parlamentar Amigão D’Orto questionou quem irá realizar a manutenção das luminárias, já que o contrato da empresa termina no fim do mês. O vereador Danilo da Casa de Sopa voltou a tribuna e disse que a “a empresa é um problema”. “Há três meses que várias ruas da Vila Sueli estão, em parte, sem iluminação. Quando eles vão ver isso?”, questionou. Já Zé Nelson (MDB) disse que o problema “é muito sério”. Para Amaury Dias (PV), as reclamações são recorrentes, e em diversas regiões da cidade. “A situação está insustentável”, disse o atual líder de governo.

Questionada sobre quem tomará conta da iluminação pública da cidade após a saída da Ribeirão Luz, a Prefeitura não respondeu nosso contato.