A Prefeitura de Ribeirão Pires realizou, de janeiro a outubro de 2018, cerca de 25 mil exames por imagem na rede municipal de Saúde. O tomógrafo, em funcionamento desde dezembro do ano passado, realizou, de lá até o final de outubro, 1800 exames, zerando a fila de espera e atendendo 100% da demanda da rede.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Desde 2017, a Secretaria de Saúde da cidade retomou serviços paralisados e ampliou a estrutura oferecida nas unidades municipais. O Hospital e Maternidade São Lucas, por exemplo, recebeu readequações para a instalação do tomógrafo. A unidade hospitalar conta, ainda, com ultrassonografia e raio-x. Nos dez primeiros meses de 2018, cinco mil exames do tipo foram realizados no São Lucas. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Luzia, foram mais de 18 mil exames de raio-x.

“A ampliação da oferta de serviços de diagnóstico tem extrema importância para nossa rede de saúde, uma vez que, além de reduzirmos o tempo de espera pela realização de exames, temos melhores condições para identificar doenças de forma precoce, permitindo acesso aos serviços de tratamento de forma mais rápida. Seguindo as diretrizes de trabalho estabelecidas pelo prefeito Kiko, estamos trabalhando na estruturação de novos espaços que receberão novos serviços, voltados especialmente à saúde da mulher”, explicou a secretária de Saúde de Ribeirão Pires, Patrícia Freitas.

Histórico do tomógrafo – O tomógrafo foi adquirido pela Prefeitura em abril de 2014, com investimento de R$ 661 mil, além de R$ 55,3 mil usados para adequações em sala da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Luzia, onde o aparelho havia sido indevidamente instalado. Por ser classificado como equipamento de alta complexidade, tomógrafos devem ser instalados em Centros de Diagnóstico ou hospitais.

“Por essa razão, a Prefeitura transferiu o equipamento da UPA para o Hospital e Maternidade São Lucas, para que esteja dentro das diretrizes que regulam os serviços de saúde. Com isso, a rede municipal de saúde garante recursos do Governo Federal para custear todas as tomografias feitas na unidade”, explicou a secretária de Saúde.   

Os exames de tomografia são realizados na rede municipal por meio de parceria entre a Prefeitura e o Grupo São Cristóvão Saúde. O município investiu, em 2017, cerca de R$ 190 mil para realizar os serviços de desinstalação do tomógrafo na UPA, transporte, adequação de sala no Hospital e Maternidade São Lucas e reinstalação do equipamento no novo local.