No último domingo (9), Ribeirão Pires completou duas décadas com o título de estância turística. Concedido pelo então governador Mário Covas, o título permite que o município receba uma verba de R$ 4 milhões anuais aos cofres municipais específicos para melhorar serviços e infraestrutura para atrair visitantes.

Continua Após a Publicidade

Após quase perder o rótulo em 2015 por falta de investimento no setor e melhorias na área, a administração do prefeito Adler Teixeira, o Kiko (PSB), trabalha para fomentar o setor. Pela lei 1.261/2015, os critérios principais para ascender ao status são atrativos turísticos, equipamentos, serviços e fluxo permanente de turistas. Com isso, 
além da retomada de eventos tradicionais, como é o caso do Festival do Chocolate, houve a elaboração de um plano diretor voltado ao tema.

Em abril deste ano, o município se tornou o primeiro do Estado de São Paulo a receber, via Ministério do Turismo, o Selo + Turismo, declaração que garante a cidade uma análise prioritária para a obtenção de recursos junto ao governo federal. Na ocasião, três objetos foram apresentados: reformas do Teatro Municipal Euclides Menato e do Parque Municipal Pérola da Serra, além da construção de Parque Linear na Avenida Prefeito Valdírio Prisco – investimento de R$ 9,5 milhões. 

Para alimentar mais ainda a área, por meio de convênio com o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (Dadetur), a cidade recebeu R$ 10 milhões para a implantação do Boulevard Gastronômico – fases 1 e 2 e do Parque Oriental. O novo projeto turístico integrará o Boulevard com o Parque Oriental, antigo camping, ligado, por sua vez, ao Templo Luz do Oriente, onde está situada a Torre de Miroku.

Fora isso, o plano da administração retomou eventos como a Festa do Pilar; as cavalgadas; Marcha para Jesus; e os tradicionais festivais do Chocolate e do Cambuci.