Os vereadores de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra escolheram novos presidentes que deverão guiar os rumos das câmaras municipais pelos próximos dois anos. Em Rio Grande da serra, Claudinho Monteiro (PSB), atual líder do governo de Gabriel Maranhão (Sem partido) conquistou a vaga por 8 votos e venceu Bibinho (PSDB) que também pleiteava ao cargo, mas foi derrotado com apenas 6 votos.

Em Ribeirão Pires a sessão teve o clima bastante acalorado e foi marcada por acusações entre os próprios vereadores, que na tentativa de atingir o prefeito Kiko (PSB), miraram em Rato Teixeira (PTB), que era candidato a presidência e é sobrinho do chefe do executivo. Em um dos momentos, Amigão D’orto (PTC) chegou a declarar: “Entregar a câmara para o prefeito é a mesma coisa que eu entregar minha casa pra bandidos”.

Rubão Fernandes (PSD) e D’orto até tentaram clamar pelo apoio popular para derrubar os votos de Rato, que era o preferido ao cargo, mas a palavra final pertencia apenas aos vereadores e Rato foi eleito por grande maioria dos votos. Foram 12 vereadores favoráveis a chapa do petebista, que a partir de janeiro assumirá a liderança da câmara da cidade.

A chapa liderada por rato tem José Nelson de Barros (PMDB) como vice-presidente, Silvino de Castro, como 1º secretário, Carlos Trindade (PPS) será o 2º secretário e na função de 3º secretário fica eleito Arnaldo Sapateiro (PSB). A chapa de Rubão teve apenas quatro votos, a de Amigão, um.