Na Sessão Ordinária, que acontecerá nesta quinta-feira (20), na Câmara Municipal da cidade, o assunto que chama atenção dos munícipes é sobre a doação da propriedade onde fica a Fábrica de Sal, para a construção de uma escola SESI (Serviço Social da Indústria).

A pauta já foi discutida na casa de leis, havendo contestações por parte de alguns vereadores a respeito do assunto, inclusive o presidente da casa, Rubens Fernandes (PSD), o Rubão, exigindo uma audiência pública sobre o tema.

A proposta surgiu após o prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSB), e representantes do SESI apresentaram aos vereadores da cidade uma proposta de restauração da antiga Fábrica de Sal (edifício do Moinho Fratelli Maciotta), localizada na região central da cidade, onde em comtra-partida, haveria a construção de uma nova unidade do SESI. Por meio de parceria com a instituição, que é ligada a FIESP, o município garantirá recursos para o restauro do edifício, que no início deste ano foi tombado como patrimônio cultural do Estado, o Condephaat, e também para viabilizar a construção da nova escola do SESI.

A solução para as duas pendências poderá ser concretizada a partir deste ano. Desde 2017, o Governo Kiko trabalha junto a equipe técnica do SESI/FIESP para viabilizar a proposta que contempla tanto o restauro da Fábrica de Sal, como a construção de nova escola do SESI na área onde hoje estão situadas biblioteca e unidade escolar da rede municipal.

A proposta apresentada também é alternativa para a solução de antiga preocupação dos moradores, que há anos acompanham a possibilidade de o encerramento das atividades do SESI em Ribeirão Pires. A unidade está instalada em espaço que sofre com o risco de deslizamento de terra, caso que levou a sua interdição em 2010.

O SESI atende mais de 700 crianças da cidade e indica, além de questões de segurança, a necessidade de modernização e ampliação de sua estrutura educacional, contemplando as diretrizes de ensino da instituição, para permanência no município.

“Com isso, a preocupação com possível encerramento das atividades da unidade ribeirão-pirense seria solucionada, bem como teremos condições para resgatar um dos mais belos cartões postais de nossa Estância, que é a Fábrica de Sal. Esta é uma grande oportunidade para a preservação do patrimônio histórico não apenas de Ribeirão Pires, mas como de todo o ABC Paulista, e um importante passo para a manutenção e ampliação das atividades do SESI em nosso município. É tempo de preservação da nossa história”, destaca o Prefeito Kiko.

Para que a proposta seja viabilizada, além da aprovação dos parlamentares, a Prefeitura já trabalha em estudo para a transferência das atividades da Escola Municipal Lavínia de Figueiredo Arnoni e do acervo da Biblioteca Municipal Olavo Bilac para edifício onde atualmente está sediada a Secretaria de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia — área próxima ao endereço atual, e com estrutura que garantirá, sem prejuízo, o atendimento da demanda existente.

Já a Secretaria de Educação, deverá direcionar suas atividades para o Complexo Cultural Ayrton Senna, onde já tem parte de sua estrutura instalada e, segundo a instituição, poderá realizar todas as atividades sem nenhum maior prejuízo aos trabalhos.