O Prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), e seus aliados têm criado uma estratégia nova para chamar munícipes a eventos políticos de candidatos que eles apoiam.

De acordo com uma professora da cidade, que pediu para não ser identificada
com medo de represália, os educadores da rede municipal de ensino teriam sido chamados
para debater sobre a ‘municipalização da educação’ mas ao chegar no local, perceberam
que se tratava apenas de um evento político para lançar candidatos apoiados pelo atual prefeito de Rio Grande da Serra.

“Chegou um telefonema nas escolas em que trabalhamos convidando todos os funcionários da educação para uma reunião que teria. O que foi passado é que seria sobre a municipalização que ele está implantando na cidade, aí quando chegamos lá não era nada a respeito da educação. Foi um palanque político, sobre a educação mesmo não foi falado nada”, disse a educadora.

Uma outra denúncia oriunda de outro munícipe da cidade afira que a secretária de educação da cidade, Helenice Arruda, também teria se utilizado da mesma técnica para atrair pessoas ao que seria um evento político de apoio aos candidatos Alex Manente, Thiago Aurícchio e Márcio França.

De acordo com o denunciante, Helenice havia convocado pessoas para um evento que pautaria questões sobre a terceira idade, mas ao chegar no local, também se tratava de um evento para apoio político e nenhuma ação sobre o tema teria sido discutido.

“Todo mundo foi lá achando que era um evento sobre nossas coisas, mas quando chegamos lá todo mundo ficou chocado”, disse. Em uma rede social, um homem desabafou: “Vocês enganaram a terceira idade de RGS, convidaram para uma atividade às 7 da manhã, quando todos estavam no trevo, ficaram sabendo que era política. Isso é feio, enganar as pessoas idosas para fazer politicagem”.

Os candidatos Márcio França e Thiago Auricchio não foram encontrados para comentar sobre o caso, já Alex Manente não respondeu nosso contato. A Prefeitura de Rio Grande da Serra limitou-se a dizer que não foi um ato oficial, e que Helenice realizou um ato político fora do horário de expediente.