Discussão e desorganização marcam sessão na Câmara Municipal

Na última quinta-feira (9) ocorreu a 21ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Ribeirão Pires. A sessão ficou marcada pela polêmica de um projeto que foi incluído antes do recesso em regime de urgência, porém o projeto não entrou em ordem do dia.  Trata-se de um contrato que firma um convênio com uma ONG responsável pelo Cursinho pré-vestibular, existente desde 2008.

“O programa existe desde 2008, e não é do executivo, trata-se de um projeto da cidade. Passou pelo Volpi, Saulo e chegou no Kiko. A dificuldade para às pessoas encontrarem um lugar para estudar está muito grande, então esses dois últimos anos o projeto cresceu muito, quando diminuiu o corte na educação ficamos mais forte. O programa é um cursinho pré-vestibular que prepara os alunos para os grandes vestibulares, principalmente o ENEM, duração aproximadamente de 12 meses, segunda a sexta-feira totalmente gratuito, aulas de todas as matérias necessárias, apenas alunos de escolas públicas selecionados pelo histórico escolar” destaca Hatiro Coordenador Pedagófico.

Os vereadores Edmar Aerocar (PV), Amaury Dias (PV) e o presidente da Câmara Municipal Rubens Fernandes (PSD) reclamaram da falta de documentos solicitados para que o projeto fosse votado. Destaque para o Secretário de Assuntos Estratégicos João Mancuso e o presidente Rubens Fernandes que tiveram uma discussão exaltada na Cãmara Municipal.

Uma sessão extra extraordinária deve ser convocada para a próxima terça-feira (14), para votação do projeto.

 

 

Compartilhe:

Notícias relacionadas