O Sistema Nacional de Emprego (Sine) encaminhou 32,5 milhões de pessoas para o mercado de trabalho nos últimos seis anos. Em primeiro lugar no ranking das profissões mais intermediadas pelo serviço está o alimentador de linha de produção, com 3,3 milhões de trabalhadores. O Ministério do Trabalho assinou, a partir de 2012, Convênios Plurianuais do Sine (CPSINE) com estados e municípios para executar ações, medida que possibilitou ampliar a rede de atendimento presencial.

Das dez profissões mais encaminhadas destacam-se também de faxineiro (2.495.202), vendedor de comércio varejista (2.407.399), operador de caixa (1.265.155), auxiliar nos serviços de alimentação (1.245.632), auxiliar de escritório em geral (1.121.495), repositor de mercadorias (881.993), servente de obras (869.319), operador de telemarketing ativo e receptivo (858.501), trabalhador da manutenção de edificações (765.369). Essas ocupações representaram 50% de todos os encaminhamentos realizados pelo sistema nos últimos seis anos, um total de 15,2 milhões de intermediações.

Mesmo em menor número, profissionais com mais escolaridade também conseguiram trabalho por meio da intermediação do Sine. Entre as 10 profissões com ensino superior mais encaminhadas para oportunidades de trabalho estão vendedor de comércio varejista (105.593),enfermeiro (11.899), nutricionista (11.609), analista de Recursos Humanos (9.952), nutricionista (5.595), contador (2.533), médico clínico (1.999) e fisioterapeuta geral (1.720).

As vagas mais intermediadas coincidem com as mais ofertadas pelas empresas no sistema. No período analisado, foram 5,6 milhões de vagas oferecidas. As cinco mais disponibilizadas: alimentador de linha de produção (1.188.737), faxineiro (875.221), vendedor varejista (786.792), operador de telemarketing receptivo (456.706) e operador de caixa (426.925).

Rede

A rede de atendimento do Sine conta com 1.992 postos. Do total, 1.448 são agências conveniadas e 544 unidades da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. Além do atendimento presencial, o trabalhador tem acesso aos serviços oferecidos pelo Ministério do Trabalho pela internet, a exemplo do portal Emprega Brasil (https://empregabrasil.mte.gov.br/) e dos aplicativos de celular, o Sine Fácil Trabalhador e  Sine Fácil Empregador  (https://empregabrasil.mte.gov.br/332/como-instalar-o-aplicativo-sine-facil/).

O Sine foi criado em 1975 pelo decreto Nº 76.403, sob a égide da Convenção nº 88 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que orienta cada país-membro a manter um serviço público e gratuito de emprego para a melhor organização do mercado de trabalho.  Ao longo da história, o Sine passou por diversas melhorias para tornar seus serviços práticos e acessíveis a todos os trabalhadores.

A intermediação de mão de obra também passou, mais recentemente, a ser realizada de forma virtual com os aplicativos para smartphones e navegadores de internet, o que trouxe facilidade e praticidade para trabalhador e empregador. Primeiro, foi desenvolvido o Sine Fácil Trabalhador, em 2017. Desde então, foram encaminhados mais de 611 mil trabalhadores. E em maio de 2018 entrou em operação a versão do aplicativo para o empregador. Desde então já foram cadastradas mais de 2,1 mil empresas.

Serviços

A rede ainda conta com serviços como encaminhamento de seguro desemprego, emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social, intermediação de mão de obra e qualificação profissional.

Se a opção for pelo atendimento presencial, o trabalhador terá que buscar uma unidade da rede nos horários comerciais. Porém, conforme a região, o atendimento pode ocorrer apenas em meio período do dia. Neste caso, é necessário apresentar documento de identificação com foto e ter a carteira de trabalho. Para saber onde ficam os postos de atendimento mais próximos, entre no site http://trabalho.gov.br/rede-de-atendimento.

Se a opção for pela internet, o trabalhador precisa acessar o portal Emprega Brasil. Nele é possível ter acesso a todos os serviços do Sine. No entanto, primeiro o trabalhador precisa se cadastrar. Para abrir o acesso é só clicar em “Cadastrar Trabalhador” e preencher todos os dados do pré-cadastro. Em seguida, ele receberá um e-mail de confirmação para acessar o sistema com o login e senha e completar o cadastro.

Para acessar as ações de Intermediação de Mão de Obra pela Internet e buscar entrevistas de vaga de emprego é necessário ter, no mínimo, 14 anos de idade, informar o e-mail e os seguintes documentos: PIS/PASEP/NIS/NIT, CPF, RG, CTPS.

Além de pesquisar as vagas de emprego disponíveis no Sine, por meio do Sistema de Intermediação de Mão de Obra, o trabalhador pode atualizar o cadastro, agendar entrevistas de emprego, dar entrada no seguro desemprego (http://www.trabalho.gov.br/seguro-desemprego) e  ter acesso aos cursos de qualificação oferecidos pela escola do trabalhador (http://escola.trabalho.gov.br/).