O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) inocentou o prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (sem partido), e sua vice, Marilza de Oliveira (PSD), no processo em que ambos foram acusados de abuso de poder político durante a eleição de 2016. A Corte definiu o caso em julgado, quando não é possível mais impor recursos.

A ação foi feita pelo ex-vereador Claudinho da Geladeira (PT), adversário de Maranhão nas eleições de 2012 e 2016. O próprio alegava que Maranhão, no exercício do cargo, cedeu equipamentos e funcionários públicos para reforma da Paróquia São Sebastião, no Centro. O Ministério Público entendeu que houve ferimento de igualdade no pleito e, por isso, também acionou o chefe do Executivo.

Claudinho buscou a condenação do rival. Com agravos e recursos especiais rejeitados, a Justiça Eleitoral considerou, no dia 30 de maio, o trânsito em julgado, quando se esgota qualquer possibilidade de contestação de uma decisão judicial. Ontem esse documento chegou à 382ª Zona Eleitoral, que atende casos de Rio Grande da Serra.