Vereador assume que negociou cargos em RP

Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (10) os vereadores Anselmo Martins (PR) e Amigão D’orto (PTC) tiveram discussões acaloradas durante a sessão.

Continua após a publicidade.

Tudo começou quando alguns projetos de urgência de autoria do executivo foram recebidos para completar a ordem do dia. Em um projeto no qual a prefeitura aceitou fornecer uma propriedade para a associação dos moradores do Jardim Serrano, Martins começou a questionar a integridade da cessão da propriedade, indo contra os vereadores Amigão D’orto, Amaury Dias (PV), Rubens Fernandes, o Rubão (PSB) e Silvino de Castro(PRB).

Para vereadores ouvidos, o intuito de Anselmo é travar os projetos que vierem do executivo, o que inclusive motivou uma discussão tensa entre ele e os demais. mas no fim das contas, os projetos foram aceitos por unanimidade, até mesmo o vereador Anselmo Martins foi a favor, o que gerou questionamentos do vereador Amigão. Amigão chegou a dizer que Anselmo estaria brecando os projetos por causa de problemas pessoais com o executivo.

Quando tudo parecia ocorrer normalmente para o desfecho da sessão, Anselmo subiu à Tribuna e questionou D’orto qual seria o motivo de sua fala. Foi quando Amigão subiu ao plenário e perguntou a Anselmo se ele tinha funcionários comissionados na Prefeitura, e o vereador respondeu que sim, dizendo que indicou pessoas para trabalhar na Prefeitura, mas que foi só durante o período em que votava a favor dos projetos do executivo.

Após a confirmação, amigão afirmou que o ato era ilegal. Pressionado, Anselmo voltou atrás e disse apenas “conhecer” as pessoas.

Notícias relacionadas