O governo de Adler Kiko Teixeira (PSB), prefeito de Ribeirão Pires, abriu uma sindicância interna para apurar contratos do último governo, do ex-prefeito Saulo Benevides (MDB), relacionados às construções do Teleférico e do Parque Temático Fordlândia, projetos com irregularidades e que não se seguiram adiante.

Foram R$ 25 milhões gastos no projeto, dois acordos assinados pela administração de Saulo, um com a empresa suíça Rowena AG e outro com a VRH Construtora, de Ribeirão, entraram nas investigações. A comissão é formada por servidores nomeados por Kiko. A comissões são comportas pela servidora de carreira, Marizélia Plenas Martins da Silva, que presidirá os trabalhos.

A empreiteira, VRH Construtora, é administrada por Victor Rodrigues Hamada. Segundo dados do Portal da Transparência, a construtora recebeu R$ 1,6 milhão do Paço de Ribeirão Pires entre 2015 e 2016, em diversos contratos, relacionados ao Parque Temático e a revitalização das calçadas da cidade.

Continua Após a Publicidade

Custeadas com recursos dos governos federal e estadual e promessa de campanha de Saulo Benevides no processo eleitoral de 2012, as obras do Teleférico foram iniciadas em 2015, no entanto, pouco avançaram. Assim que assumiu a Prefeitura, Kiko abortou o projeto, alegando que, além de o valor das intervenções ser alto, registrou diversas falhas, como a falta de licenciamentos essenciais de órgãos públicos, como a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).