8 de Março: Um dia de conquistas e lutas

Diversas histórias sobre a criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o nosso imaginário. A principal história é sobre um incêndio que ocorreu em uma fábrica têxtil de Nova York, no ano de 1911 . Neste incêndio, cerca de 130 operárias morreram carbonizadas.

Continua após a publicidade.

No entanto, a luta das mulheres e, posteriormente, a criação de um dia para elas já vem muito antes desta tragédia. Com certeza o incidente marcou fortemente a trajetória das lutas feministas, mas os eventos que levaram à criação da data vêm desde o final do século 19, já que os movimentos feministas já protestavam em vários países da Europa e dos Estados Unidos. Na época, as jornadas de trabalho chegavam até 15 horas diárias, e os salários eram medíocres.

O primeiro Dia da Mulher foi celebrado em 1908, nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a um protesto que pedia por igualdade de gêneros, mas somente em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Em 1977 o “8 de março” foi finalmente reconhecido pela ONU.

É como disse Edmund Burke, “Um povo que não conhece a sua história está condenado a repeti-la”, por isso é importante sabermos quantas mulheres já lutaram fortemente para que as que vivem hoje tenham direitos e igualdades amparadas perante a lei. É óbvio que, no dia a dia as coisas não são tão iguais assim, pois o ser humano sempre quer se sobrepor ao outro. No entanto, precisamos lembrar daquelas que vieram antes de nós e, além de usar esta data para lembrar de todas as lutas que passaram para que as mulheres tenham os direitos adquiridos hoje, continuemos, lutando em nosso dia a dia para que a palavra “igualdade” se torne uma verdadeira realidade em nossa sociedade.

O 8 de Março é um dia de mobilização e para discutir as violências morais, físicas e até mesmo sexuais sofridas por diversas mulheres ainda nos dias de hoje. É um dia para lembrar que a luta diária por uma sociedade igualitária não deve acabar nunca.

Notícias relacionadas