Câmara de RGS tem 2017 de confusões

Diante dos diversos problemas existentes em Rio Grande da Serra, à Câmara Municipal da cidade também é palco de desavenças entre os próprios vereadores em praticamente todas as sessões ordinárias.

O principal fator para estes conflitos são as diferentes posições políticas que alguns parlamentares decidiram seguir.

Quem costuma acompanhar as sessões nas quartas-feiras, se depara com o vereador Benedito Araújo (PT) sendo atacado por alguns vereadores por se declarar opositor ao governo de Gabriel Maranhão (PSDB). Por ter essa posição política, Ditinho, como é conhecido, realiza fiscalizações em todos os cantos da cidade e acaba encontrando algumas irregularidades.

Em todos os questionamentos feitos pelo petista, o vereador e líder de governo, Claudinho Monteiro (PSB), usa a tribuna para atacar Benedito e, para tirar o foco do assunto discutido, fica falando de situações nacionais e criticando o partido de Ditinho, e acaba fugindo do principal assunto, que são os problemas de Rio Grande da Serra. Claudinho ataca o Partido dos Trabalhadores, mas em pesquisa realizada pelo Diário RP, foi descoberto que há alguns anos o próprio Claudinho já foi filiado ao partido.

Outra situação que chamou muita atenção dos participantes foi quando Claurício Bento (DEM) e Claudinho Monteiro tiveram uma discussão ríspida no meio de uma sessão ordinária, tenho o democrata logo em seguida utilizado a tribuna e atacado Maranhão. As pessoas se espantaram porque Claurício faz parte da base aliada do executivo, mas mesmo assim atacou o prefeito em um momento de raiva.

Até João Mineiro (PSDB), vereador e presidente da casa de leis teve seu nome envolvido em uma polêmica. O parlamentar se recusou a responder um requerimento elaborado pelo Diário de Ribeirão Pires, no qual solicitava uma planilha completa com nomes e tabela de pagamentos de todos os fornecedores e prestadores de serviço, utilizando como embasamento a Lei Federal 12.527 de novembro de 2011, conhecida como a “Lei da Transparência”.

Uma situação que deixa alguns moradores indignados é a pouca participação que alguns parlamentares têm durante os debates sobre a cidade. Nomes como Zezinho da Lavínia (PSB), Toninho Corrêa (PSD) e o tucano Agnaldo (vereador que mais recebeu votos em Rio Grande da Serra) não participam dos debates e discussões.

Compartilhe:

Notícias relacionadas