Acusações têm sido constantes contra o agente da GCM. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)

O Diário de Ribeirão Pires recebeu uma denúncia envolvendo o recebimento de propina por parte de um Guarda Civil Municipal. Este GCM, membro da Romu, teria recebido R$600,00 de dois organizadores de um baile funk em Ouro Fino; a atitude ilícita teria sido descoberta e comunicada ao Comandante da Corporação. Segundo informações ele teria dito que “enquanto eu for o Comandante, ele continua e ponto”.

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

O GCM é acusado de supostamente extorquir os organizadores na casa de um deles, dizendo que “se não pagar, não haverá festa”. Inicialmente, a quantia pedida por ele seria de R$ 1.000,00, mas pelo prazo apertado para a proximidade da festa, apenas 600 reais foram pagos.

O DRP foi informado que os dois responsáveis pela festa estariam sendo coagidos a não colaborar com as investigações da corregedoria, pois um Processo Administrativo já teria sido aberto para apurar as denúncias. Depois disso, entramos em contato com os organizadores, que não confirmaram a história.

“Eles foram até o local e registraram o boletim de ocorrência normalmente. Não pagamos nada a eles”.

 – Disseram.

No entanto, já teriam confirmado a história para outros membros da corporação. Por conta disso, uma espécie de “disciplina” interna da ROMU, equipe de elite da Guarda Civil Municipal foi aberta, mas também teria sido ignorada pelo Comandante. Uma vez que um membro desrespeita algumas normas do grupo, uma assembleia deve, teoricamente, ser realizada para decidir a punição do infrator. O GCM em questão teria sido expulso da Romu e automaticamente deveria voltar para o setor do qual veio, no caso do acusado, do setor burocrático.

O fato, é que membros da Corporação estão insatisfeitos com a forma como o caso tem sido tratado pelo alto escalão e Comando superior, que também vem sendo acusado de assédio moral por Guardas ouvidos pela equipe do DiárioRP.

A Prefeitura foi questionada sobre o fato e disse que “a Corregedoria da GCM instaurou procedimento de apuração para verificar a denúncia em questão. O comando da Guarda Civil Municipal de Ribeirão Pires repudia qualquer tipo de conduta e atitudes ilícitas. Por essa razão, o procedimento de apuração será realizado, rigorosamente, de acordo com a legislação vigente, inclusive com a possibilidade de abertura de processo disciplinar”.

O DRP continuará acompanhando os desdobramentos do caso.