Secretário destaque agilidade a frente do Meio Ambiente. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)
Secretário destaque agilidade a frente do Meio Ambiente. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)

Arquiteto urbanista, trabalhou por onze anos na Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), Roberto Tukuzumi, novo Secretário de Meio Ambiente também esteve presente no início da implantação da CETESB ( Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Foi funcionário da mesma Pasta em São Bernardo do Campo e acompanhou de perto a criação da Lei da Billings.

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

Em entrevista exclusiva ao DiárioRP, o responsável por uma das Secretarias mais importantes da cidade, falou sobre a importância da preservação, de projetos de menor impacto ambiental, construções residenciais ou empresariais, além da revitalização de parques e praças. Para isso, Tukuzumi conta com projetos de revitalização sustentável, a serem aplicados após a reorganização da Secretaria.

“Estamos trabalhando para analisar quais os pontos críticos da Pasta. Reorganizar e começar a trabalhar para que a cidade não sofra com nenhum atraso, em nenhum setor de responsabilidade do Meio Ambiente. Teremos todo um trabalho de acompanhamento de nossos fiscais, tanto de postura como ambientais.”

– Salientou Tukuzumi, mencionando também, que aprovações de processos serão tratados como prioridade no início desta Gestão.

Sobre construções e aprovações de ampliações e reformas, o Secretário foi bastante enfático. Avisou que a morosidade desses processos será extinta.

“Muitas vezes o empresário ou o cidadão comum têm condições financeiras de fazer tudo certinho, mas a morosidade, o estresse e a demora na liberação de documentos, os leva a cometer infrações. Precisamos acabar com isso. Agilizar, facilitar e tratar com respeito esses processos, faz com que o trabalho de fiscalização também seja realizado com mais calma, mais atenção e seja eficaz.”

– Disse.

Sobre a vinda de novas empresas para a cidade, o responsável pelo Meio Ambiente disse que é possível tratar o assunto com mais liberdade, desde que sejam empresas que não gerem impactos ambientes muito bruscos. Diz ele, que a necessidade de gerar empregos na cidade, faz com que a visão seja expandida para esse tipo de empresas.

“É possível sim (trazer novas empresas à cidade), desde que o impacto seja quase nulo. A compensação ambiental existe para isso. Você tira de um lugar, mas compensa em outro, e assim a fauna e flora de nossa cidade permanecem bem preservadas.”

– Destacou.

Sobre a revitalização da cidade, ele disse que o Parque Pérola da Serra, por exemplo, já está sendo trabalhado por sua equipe. A princípio, um planejamento será realizado para limpeza e manutenção do que já existe, logo após, a revitalização será feita. Quanto ao Parque Milton Marinho, o Camping, ele faz questão de lembrar que existem alguns empecilhos; ainda há questões relacionadas à construção do projeto do Teleférico que inutilizaram o local, que permanece fechado.

Em relação aos projetos em que a cidade está inserida, como, por exemplo, o Município Verde e Azul, do Governo Estadual, Roberto Tukuzumi reitera que a ideia é fazer com que Ribeirão Pires salte de sua atual posição, (134º) e esteja, até o fim deste ano, entre as 100 melhores cidades do Estado de São Paulo.

“Um dia fomos a melhor ranqueada do ABC, e temos totais condições de voltar a esse posto. Vamos trabalhar com profissionais, técnicos e pessoas capacitadas para mudar essa realidade.”

Ao final da entrevista, o Secretário ainda mencionou que a cidade precisa, e vai, correr atrás dos valores relacionados a construção do Trecho Leste do Rodoanel e da apropriação de um terreno de mais de um milhão de metros quadrados, localizado nas redondezas da Pedreira Santa Clara.

“Dá para fazermos muito com esses valores e com esse local, podemos implantar um ótimo sistema de preservação. Precisamos analisar e correr atrás do que está parado para que a cidade não perca.”

– Finalizou.