defesa_civil_limpeza

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

No início desta semana as Agentes de Serviços Gerais de Ribeirão Pires foram confrontadas com a notícia de que não receberiam as horas extras do mês de setembro. Em grupo, foram até a Prefeitura para tentar conversar com o Prefeito Saulo Benevides, que não as recebeu. Um dos assessores de Saulo disse que, no máximo até a última terça-feira, elas teriam uma resposta oficial por parte da Administração; o que não aconteceu.

Em contato com a Secretaria de Comunicação, o DiárioRP foi informado que as horas extras não não seriam pagas em dinheiro, mas que as funcionárias teriam direito a banco de horas. Por não concordarem, as agentes se recusaram a realizar a limpeza pós-feira, que acontece todas as quartas-feiras na Av. Prefeito Valdirio Prisco.

O resultado deste protesto, foi o acúmulo de sujeira deixado no local. Entretanto, os membros da equipe da Defesa Civil se prontificaram a realizar o trabalho de limpeza.

Atualização

Entramos em contato com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura para saber quais as medidas a serem tomadas em relação ao protesto e ao acordo com as Agentes. Por meio de nota, a Administração ressaltou problemas com o orçamento da cidade.

“A Prefeitura de Ribeirão Pires reitera a nota do dia 10 de outubro sobre o agravamento das contas públicas que resultaram no corte de pagamento das horas extras dos Agentes de Serviços Gerais que agora passam a ser pagos em formato de Banco de Horas. A Prefeitura esclarece que entende a insatisfação dos profissionais e está em diálogo para chegar ao melhor resultado da questão”.

 – Reiterou a Prefeitura.