blank
Falta de repasse da Prefeitura gerou tumulto na Câmara. (Foto: DiárioRP)
Falta de repasse da Prefeitura gerou tumulto na Câmara. (Foto: DiárioRP)

O atraso no repasse da Prefeitura de Ribeirão Pires para realizar o pagamento dos funcionários da Câmara dos Vereadores revoltou funcionários e até mesmo os parlamentares, que ameaçaram não realizar a sessão ordinária.

Trabalhadores do parlamento mostraram insatisfação com o ocorrido. “Acho um absurdo que a sessão ocorra com o salário atrasado. Todo mundo está aqui, mesmo sem pagamento. Muitos têm medo de cobrar por causa de perseguição e assédio moral”, disse Fernanda Henrique. Ao todo a Câmara possui 113 funcionários, sendo 96 trabalhadores e 17 vereadores.

Com uma parcela já em atraso, o Paço tem até quarta-feira (5) para fazer o repasse mais recente. Caso não seja feito, a dívida pode chegar em R$ 800 mil.

“A Sessão não vai ocorrer e vamos procurar o Prefeito onde ele estiver. Nós já notificamos o Tribunal de Contas e se a Prefeitura não nos pagar, vamos enviar um documento ao Ministério Público.”

– Esclareceu José Nelson de Barros (PMDB), Presidente da Câmara de Ribeirão Pires.

Por conta da falta de pagamento, funcionários e parlamentares cogitaram ir até o Paço Municipal cobrar presencialmente o Prefeito Saulo Benevides, uma medida cautelar contra o Chefe do Executivo também foi discutida. Contudo, uma informação de que o Paço iria realizar o pagamento até o meio-dia de quarta (5), amenizou os ânimos e a assembleia ocorreu normalmente.

“Caso, os repasses não sejam feitos no prazo informado, nós vamos até o Ministério Público.”

– Ameaçou José Nelson.

Atualização

Em conversas com funcionários da Câmara, a reportagem do DiárioRP foi informada que o pagamento foi realizado somente na manhã desta quinta-feira (6). Durante a sessão, vários trabalhadores reclamaram de quem estavam com contas em atraso, entre outros prejuízos.