A prática da compra de votos já é velha conhecida dos eleitores. A cada pleito, o ato vem sendo cada vez mais criticado pela população. Na Eleição em Ribeirão Pires deste ano, o DiárioRP flagrou, em diversos momentos, pessoas ligadas a políticos da cidade praticando o crime.

Com um veículo camuflado, nossa equipe de reportagem rodou a cidade para averiguar se a prática criminosa estava sendo realizada nos pontos de votação. Em diversos momentos, flagramos pessoas oferecendo dinheiro em troca do voto das, em outros entregando “santinhos” para populares.

Continua Após a Publicidade

Entre os materiais distribuídos, que foram flagrados pela nossa equipe estão os dos candidatos Dorival Quinalia  Jovem (PSDB), Elisangela Ferraz (PSB), Jorge da Auto Escola (DEM) e Dedé (PPS).

A prática de compra de votos é proibida e, caso eleitos, pode causar a cassação do mandato, deixar os infratores inelegíveis por oito anos, além da pena de prisão por até quatro anos. Já a boca de urna pode acarretar em detenção entre seis meses a um ano e multas que variam entre R$ 5 mil e R$ 15 mil.