Partidos entraram com representação contra o pré-candidato do PMDB. (Foto: DiárioRP)
Partidos entraram com representação contra o pré-candidato do PMDB. (Foto: DiárioRP)

Recentemente foi protocolado, pelos vereadores de Rio Grande da Serra, uma moção de repúdio contra as declarações tidas como ofensivas, proferidas pelo prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB), que aconteceram durante discurso em convenção partidária do PMDB de Ribeirão Pires, no dia seis de agosto, onde, usando de sua fala para atacar o ex-prefeito da cidade, e adversário político na disputa das Eleições deste ano em Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), Saulo acabou afirmando que a cidade “não tinha nada, em relação às necessidades básicas, e que era uma cidade miserável”. O único vereador rio-grandense que não assinou a moção destinada à Saulo, foi o companheiro de legenda, Edvaldo Guerra, também do PMDB, candidato a Prefeito em RGS, e que supostamente tem Saulo Benevides como mentor e organizador da campanha do PMDB e consequentemente da candidatura de Guerra na cidade.

Para o autor da moção de repúdio, o Líder do Governo na Câmara, o vereador Claudinho Monteiro (PSB), Saulo Benevides deveria “lavar a sua boca antes de falar qualquer coisa a respeito de Rio Grande da Serra”. Já sobre a atitude do vereador Edvaldo Guerra em não ter assinado o documento, Monteiro foi extremamente categórico dizendo que “Guerra foi tão inconsequente quanto o atual prefeito de Ribeirão Pires”.
Além disso, o Líder do Governo Claudinho Monteiro classificou a atitude do candidato peemedebista como sendo extremamente desrespeitosa para com a população de RGS.

“Ele, (Edvaldo Guerra), colocou, de maneira errônea, seus interesses partidários e pessoais, acima dos interesses de defesa da honra de nossa querida cidade; cidade a qual ele foi eleito representante legítimo pela população”.

 – Reverberou o Líder do Governo.

O vereador e candidato à Prefeito, Edvaldo Guerra foi procurado pelo Diário de Ribeirão Pires assim que as informações sobre a moção de repúdio chegaram à redação, no entanto até o fechamento desta edição não conseguimos contato com o vereador Riograndense.