DSC08528
Violência na cidade caiu cerca de 31% (Foto: Rafael Ventura / DiárioRP)

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo liberou, ontem, dados referentes às estatísticas de violência do primeiro quadrimestre de 2015.

Na planilha, é possível constatar grande queda em relação a crimes violentos, além de furto e tráfico. Os dados também mostram um aumento no número de prisões realizadas pela polícia.

Os quatro índices, juntos, tiveram redução de 9,03% nos quatro primeiros meses do ano. Os latrocínios e os homicídios dolosos também diminuíram, com 15% e 9,11% casos a menos no período, respectivamente. Nos últimos 12 meses, a taxa de mortes intencionais caiu para 9,65 ocorrências a cada 100 mil habitantes – até hoje, o patamar mais baixo atingido no Estado.

O trabalho das polícias paulistas alcançou, em quatro meses, mais um recorde no número de prisões no primeiro quadrimestre desde o início da série histórica, em 2001. A quantidade aumentou 6,84% e o número de ocorrências com detenções passou de 54.032 para 57.728. Em abril, houve alta de 9,19%, com 14.714 registros – também um recorde.

Na cidade de Ribeirão Pires, também houve grande diminuição em todos os pontos da planilha: No primeiro quadrimestre deste ano, foram apenas três casos de estupro, contra dez no mesmo período do ano anterior – uma queda de 70 pontos percentuais.

Em roubos e furtos, a queda foi de quase 29%. Foram 708 casos nos primeiros quatro meses de 2014, contra 503 este ano. Os roubos e furtos de carro também caíram: 264 casos em 2014, contra 171 este ano – cerca de 35% a menos.

A lesão corporal também teve queda de 27%: 113 casos em 2015, contra 156 no ano anterior.

O crime que teve o maior índice de queda na cidade foi o homicídio doloso: neste ano, foram apenas três casos, contra 13 no mesmo período do ano passado. Uma diminuição de mais de 76%.

Em todos os casos citados,  houve a diminuição de cerca de 31%, somente na cidade. Uma queda de 361 casos nesse primeiro quadrimestre.

Você pode ver a lista completa, clicando aqui.