Por Luana Scomparim*

Arte, música, literatura, circo, teatro e artemída. Para quem não conseguiu participar da programação do Circuito SESC de Artes em Ribeirão Pires, ainda haverá oportunidade de prestigiar o evento que acontece aqui ao lado.

No dia 03 de maio, o Circuito desembarca em Rio Grande da Serra, no Parque dos Ipês, Avenida São Paulo, sem número, das 16h às 21h. A entrada é gratuita.

Confira a programação e não perca!

 

Literatura: Leve Livro (MUDA Práticas Culturais e Educativas)

Leve-Livro
Foto: Divulgação / SESC.

Uma estante móvel montada na praça, com cerca de 200 livros para ler e trocar. É só chegar, escolher um e sentar-se num dos bancos da sala de leitura ao ar livre.

Essa ação busca criar aproximações entre os leitores, estimulando diálogos literários, conversas sobre os livros que cada um já leu, proporcionando a troca de opiniões e histórias.

O público conta com o suporte de dois mediadores, que auxiliam na seleção dos livros disponíveis de acordo com o interesse de cada leitor. E eles também entram na roda de conversas com suas experiências. A rua se torna uma biblioteca viva.

  • Curadoria: Heloísa Sobral e Fábio Figueiredo;
  • Produção e Coordenação: Heloísa Sobral;
  • Concepção, Projeto Cenográfico e Design: Laura Sobral;
  • Cenotecnia: Raphael Franco e Rodrigo de Moraes Machado;
  • Mediadores de Leitura: MUDA Práticas Culturais e Educativas.

 

Literatura: Dulcinéia Catadora (SP)

dulcineia
Foto: Divulgação / SESC.

Como fazer seu próprio livro, usando restos de caixas de papelão? As “cartoneras”, como é chamada essa atividade editorial artesanal, têm uma grande importância social, valorizando o trabalho dos catadores, e também literária, já que colocam em circulação obras de novos autores.

Em suas oficinas, os participantes encontrarão folhas impressas com textos e fotos, tintas, linhas para costura e papelão; escolherão o conteúdo de seu interesse, montarão seu próprio livreto com costura simples, pintarão as capas e levarão seu livro para casa.

  • Oficineiras: Lúcia Rosa, Kátia Fiera, Andreia Emboava e Maria Dias da Costa;
  • Escritores Colaboradores: Carlos Pessoa Rosa e Leo Gonçalves.

 

Artemídia: ET Color (Márcio Ambrósio)

ET-Color
Foto: Divulgação / SESC.

Brincando com as possibilidades das novas tecnologias, esta instalação interativa propõe ao participante um game performático. Com um capacete de ET Color, as pessoas precisavam encontrar à sua volta a cor que o mestre Pantone designou.

Criado pelo premiado artista gráfico Márcio Ambrósio, o jogo, com cinco participantes, funciona da seguinte maneira: cada um recebe um kit e um capacete de ET Color. Depois, o mestre Pantone, representado por um obelisco, acende uma cor. É essa cor que os participantes precisam encontrar no público ou em objetos presentes na praça.

Com uma luva ou pistola de captura de cor, o participante encosta no objeto. Se ele acertar, continua no jogo; e quem não encontrar sai da partida abrindo a vaga para outra pessoa.

  • Concepção e Criação: Marcio Ambrosio;
  • Produção e Cenografia: Kosmo;
  • Desenvolvimento Software: André V. Perrotta;
  • Desenvolvimento Eletrônico: Wesley Lee.

 

Música: Felipe Cordeiro

felipe-cordeiro
Foto: Divulgação / SESC.

O compositor e multi-instrumentista Felipe Cordeiro, um dos destaques da cena musical do Pará, apresenta o repertório de seu segundo disco solo “Se Apaixone Pela Loucura do seu Amor”. O próprio músico classifica seu trabalho como “pop tropical”, no qual mistura os ritmos pop com o brega, a guitarrada e a lambada.

Ao som de Cordeiro, o público não tem como ficar parado: o convite para dançar é direto e sem rodeios. Nesse trabalho, ele traz ainda parcerias com Arnaldo Antunes, Luê, Betão Aguiar, Saulo Duarte, Lia Sophia e também com seu pai, Manoel Cordeiro, um dos mestres da música popular da Amazônia.

O disco recebeu críticas elogiosas e a canção “Problema Seu” conquistou o primeiro lugar na lista da revista Rolling Stone (BR).

  • Com: Felipe Cordeiro (voz e guitarra), Manoel Cordeiro (guitarra e sintetizador), Betão Aguiar (baixo e vocal), Marcio Teixeira (bateria) e Melina Mulazani (backing vocal e percussão);
  • Duração: 75 minutos.

 

Circo: Nois Um (Cia. Delapraká)

nois-um
Foto: Divulgação / SESC.

Unindo dança contemporânea, acrobacia e música, Marina Collares e Ronan Lima criam uma coreografia cheia de sincronicidade que une os corpos e articula suavidade e impacto de maneira poética.

Em atividade desde 2007, a Cia. Delapraká desenvolve uma linguagem de dança e elementos circenses como veículo de expressão e diálogo. A própria formação dos dois é bastante exemplar deste belo encontro: Marina Collares é licenciada em dança contemporânea, estudou trapézio e duo acrobático na Escola Nacional de Circo, no Rio de Janeiro, e se aperfeiçoou em cursos realizados em outros países. Já Ronan Lima iniciou sua vida artística aos oito anos, fazendo acrobacia solo, e, aos 13, aprendeu capoeira e dança; é formado em educação física e também passou pela Escola Nacional de Circo.

A companhia já trabalhou em diversos festivais, em países como Alemanha, França e Suíça, participando de workshops e performances.

  • Concepção, Coreografia e Interpretação: Marina Collares e Ronan Lima;
  • Música: Pedro Collares;
  • Produção no Brasil: Arueira / Difusa Fronteira;
  • Duração: 30 minutos.

 

Teatro: Uirapuru (Grande Cia. Brasileira de Mystérios e Novidades)

uirapuru
Foto: Divulgação / SESC.

Inspirada nas operetas populares de Belém do Pará, a peça conta a lenda do Uirapuru e dos pássaros encantados, seguindo a tradição amazônica. Para a sua realização, o grupo também buscou referências no poema sinfônico “Uirapuru”, de Heitor Villa-Lobos. O espetáculo, que reúne performances de dança, teatro e música, é quase que inteiramente apresentado com os personagens em pernas-de-pau, fortalecendo a narrativa poética realizada pelos atores.

Com quase três décadas de atividade, a Grande Cia. Brasileira de Mystérios e Novidades procura recuperar a linguagem musical e gestual dos antigos atores e músicos populares, criando uma espécie de circo dramático.

  • Direção: Ligia Veiga;
  • Assistente de Direção: Mafalda Pequenino;
  • Preparação Corporal: Marilia Felippe;
  • Figurino: Caetana Dias;
  • Diretora de Produção: Marina França;
  • Elenco: Ligia Veiga, Mafalda Pequenino, Sara Hana, Fabio Costta, Fabio de Sousa, Dicoklen Brito, Veronica Pereira, Alexandre Rosani, Marilia Felippe, João Bittencourt, Renata Neves, Pedro Lima, Thiago Queiroz, Joana Queiroz, Lelena Anhaia.
  • Duração: 60 minutos.

 

* Formada em Administração e pós-graduanda em Gestão de Projetos Sociais em Organizações do Terceiro Setor. Trabalha como assistente financeira e administrativa, e é apaixonada por eventos culturais.