Rubão é condenado, e terá que devolver dinheiro público gasto ilegalmente

Publicidade

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), condenou o atual vice-prefeito da cidade a devolver valores gastos de forma ilegal enquanto Rubens Fernandes da Silva, o Rubão, foi Presidente da Câmara Municipal de Ribeirão Pires. Além disso, rejeitou as contas referentes a 2018, o que também pode torná-lo inelegível.

De acordo com o o voto do Conselheiro Renato Martins Costa são diversos erros que a gestão de Rubão realizava no legislativo municipal, entre elas, contratações irregulares, uso de veículos sem comprovar para o que era, falta de planejamento interno, resultados financeiros inconsistentes e sem transparência, contabilização errada de despesas, descrição genérica com gastos de combustíveis, e até mesmo a inexistência do Alto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), que garante a segurança predial contra incêndios.

Outro ponto que o TCE alertou foi para a os diversos erros no quadro de funcionários comissionados, que na gestão de Rubão correspondiam a mais de 64% do total de vagas na Câmara, algo que já vinha sendo alertado pelo tribunal desde 2011, e inclusive levou as reprovações de contas entre 2011 e 2014. No caso de Rubão, ainda haviam vagas “fantasmas”, pois eram incompatíveis com cargos de chefia, mas recebiam como se fossem.

A gestão chegou a deixar um deficit financeiro no valor de quase R$ 72.000,00, o que gerou, inclusive, uma advertência à Câmara Municipal, e a condenação de Rubão à devolução de pelo menos R$ 28.276,17, pagos de forma ilegal a seus assessores.

Rubão não foi encontrado para comentar o caso.