blank

O Ministério Público Eleitoral de Ribeirão Pires pediu a anulação da coligação entre o Avante, partido de Lair presidido por Saulo Benevides, o PMB e Republicanos com os partidos da Coligação de Kiko Teixeira (PSDB).

De acordo com a Promotora Maria Cecília Alfieri Nacle, a aliança é repleta de irregularidades. No documento, a procuradora afirma que a união foi realizada apenas por deliberação da executiva dos partidos, e sem consultar os filiados e candidatos do partido. Ainda segundo a promotora, o prazo final para as convenções, momento em que os partidos se decidem sobre candidaturas e chapas, também já havia se passado.

Continua Após a Publicidade

Ela ainda relata no documento que não se sabe se é esta a real vontade dos demais candidatos ao cargo de vereador e filiados do partido, o que poderia levar, dentre outras consequências, ao prejuízo do andamento do pleito eleitoral, e até mesmo prejudicar o partido com debandada de filiados e candidatos.

A promotora ainda diz, que as regras existem para serem seguidas, como prazo certo, quórum, dentre outros requisitos, e não apenas pode ser apenas tomada pela executiva dos partidos, afirmando que a vontade dos filiados, tanto da coligação de Kiko, quanto da de Lair, foram desrespeitados, pois decidiram pela situação anterior, e não pela atual, e finaliza pedindo que a Justiça indefira o pedido de coligação por conta das diversas irregularidades apresentadas.

Veja o documento completo abaixo: