O clima esquentou na sessão ordinária desta quinta-feira (22) na Câmara Municipal de Vereadores. Indignados com a aprovação do projeto, munícipes que acompanhavam a sessão na Casa de Leis entoaram gritos de “vergonha” aos vereadores.

Em votação única, o projeto, apresentado pelo Executivo Municipal, prevê a cessão do Centro Esportivo Valentino Redivo, o popularmente conhecido como campo da Vila Gomes, ao Clube Atlético Desportivo Ribeirão Pires. A polêmica começou quando o vereador Amigão (PTC) foi a tribuna pedir o adiamento do texto por uma sessão para que os parlamentares pudessem conversar e discutir melhor sobre o projeto. Para Amigão, a falta de qualificação da empresa cujo espaço público seria cedido era o principal motivo do adiamento. Segundo ele, nenhum dos vereadores tiveram acesso à empresa.

continua após a publicidade

Em seguida, o vereador Anselmo Martins (PR) disse que o projeto era “bizarro” e que seria um “crime votá-lo daquela maneira”. Os parlamentares Rubens Fernandes, o Rubão (PSD) e Paulo César, o PC (MDB), também concordaram que a matéria deveria ser melhor avaliada, porém, era um projeto bom para todos e que agregaria para a cidade. Outro ponto levantado por Rubão foi uma reunião realizada antes da sessão onde, segundo ele, foi acordado que a matéria seria adiada, no entanto, o texto entrou em votação e causou estranheza em alguns vereadores. Para o vereador PC, o projeto deveria ser avaliado tanto pelo Executivo e Legislativo, mas também pelos donos de clubes de futebol da cidade, assim como a Liga Ribeirão Pirense de Futebol.

O atual líder de governo dentro da Câmara, Amaury Dias (PV), foi a tribuna defender o projeto. Em sua fala, disse que a cessão da área não era exclusiva e projetos sociais como o “Gol do Brasil”, instalado pela Confederação Brasileira de Futebol no município e com sede no Centro Esportivo, teriam continuidade no local, assim como jogos do futebol amador da cidade. Amaury também voltou a frisar que o projeto era muito bom para a cidade.

Após tentativas de adiamento e uma reunião de cinco minutos, os vereadores aprovaram o projeto com 11 votos favoráveis. Após a aprovação, o público presente vaiou os parlamentares e gritaram palavras como “vergonha”. Um presidente de um clube amador da cidade se indignou com a cessão do espaço. “Tenho um time na cidade há 23 anos, com sede e tudo, ninguém me perguntou nada sobre isso. É uma vergonha”, disse.

O projeto

Enviado pelo Executivo Municipal à Câmara Municipal para aprovação, o projeto prevê a cessão do Centro Esportivo Valentino Redivo, localizado na Vila Gomes, para o Clube Atlético Desportivo Brasil por 20 anos.

De acordo com o projeto e com o líder de governo Amaury Dias, a cessão da área não será de uso exclusivo do CAD RP, projetos sociais e jogos amadores da cidade continuaram sendo realizados no local.

No entanto, o Clube Atlético Desportivo Ribeirão Pires fará melhorias no local para se enquadrar em algumas regras. Em suma, o espaço terá melhorias como: construção de arquibancada, pavimentação em geral, melhorias no campo de futebol, adequação de vestiários, construção de sanitários, posto médico, base policial, bilheteria, entre outros.

Ainda segundo o projeto, o principal motivo da cessão se dá por conta de que as obras e melhorias do Centro Esportivo não poderiam ser realizadas com dinheiro público devido à falta de orçamento e receita para tais reformas.

O Clube Atlético Desportivo, fica sob total responsabilidade sobre a manutenção do bem-público (área cedida), assim como oferecer vagas, no mínimo 10%, para o treinamento profissional de jovens em situação de vulnerabilidade social. O clube deve ter categorias de base, como sub-15, 17 e 20 e também ter a categoria principal. Segundo o vereador Amaury Dias, um dos planos à curto prazo, é adequar o clube para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior, que acontece no mês de janeiro e é um dos principais torneios das categorias de base do país.