Em apenas uma semana, a Delegacia de Polícia de Ribeirão Pires recebeu pelo menos seis denúncias de mulheres que teriam sido vítimas de ameaças proferidas por homens. Na maioria dos casos, os autores tiveram relacionamento amoroso com as vítimas. O curioso é que na próxima semana se comemora o dia Internacional da Mulher.

O primeiro caso aconteceu no dia 18 de fevereiro. Segundo o boletim de ocorrência, a vítima em questão foi casada com o autor durante 22 anos e, estevam divorciados há cerca de dois anos. No dia dos fatos, a mulher teria oficializado ao investigado um pedido de divórcio, o que causou revolta no homem, e ameaçou a vítima dizendo “[Se] você não vai ficar comigo não vai ficar com mais ninguém”. A mulher foi orientada pelos policiais a pedir separação e foi alertada sobre as medidas protetivas para o caso.

Dia Internacional da Mulher é na próxima semana. (Foto: George Campos/USP)

O segundo caso ocorreu no dia 19 de fevereiro. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima está casada com o autor das ameças há 20 anos e teve dois filhos com ele. No dia do fato, o investigado teria ameaçado ela dizendo que “iria matá-la”, e chegou a danificar a porta da residência onde moram, assim como o telhado, a caixa d’água e o encanamento. Após a chegada da Polícia Militar, ambos foram levados a Delegacia de Polícia, onde a vítima prestou queixa contra o acusado e também solicitou uma medida protetiva. O investigado foi ouvido e liberado em seguida.

O terceiro caso também aconteceu no dia 19 de fevereiro. Segundo a ocorrência, a vítima e o autor das ameaças estão separados há sete anos, mas ainda vivem na mesma casa. Ainda segundo o boletim, o investigado pressiona a ex-mulher para que ela não saia de casa, contrata pessoas para segui-lá em todos os locais e faz ameças dizendo que a matará se arrumar outro parceiro. Na delegacia, a mulher foi orientada sobre as medidas protetivas, mas não chegou a solicitá-las.

O quarto caso ocorreu na última sexta-feira (22). De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima e o investigado foram casados por 22 anos e, após inúmeras discussões, se separaram em novembro do ano passado. Em depoimento, a mulher disse que o homem não concorda com o término e que ele a ameaça dizendo que “ela vai pagar por isso”. Na sexta, dia dos fatos, o investigado, que mora no mesmo prédio que a vítima, foi até o apartamento da mulher e tentou entrar, após a negativa começou a esmurrar a porta. Como não obteve sucesso, o mesmo desligou o fornecimento de energia da residência. A vítima, no entanto, chegou a fazer o boletim de ocorrência, mas não quis prosseguir com a denúncia contra o acusado.

Já o quinto caso aconteceu no último sábado (23). Segundo o boletim de ocorrência, a vítima têm irmãos usuários de drogas, e em consequência de diversas discussões chamou a Polícia Militar na tentativa de amenizar os ânimos. No entanto, o fato de chamar policiais despertou a revolta em um de seus vizinhos, que se incomodou com a chegada da PM, e após ter uma discussão com a vítima, o homem teria pego uma faca ameaçando matá-la. A mulher também não quis prestar queixa contra o sujeito.

O sexto caso ocorreu no último domingo (24) e foi um dos mais graves. Segundo o boletim de ocorrência, após um desentendimento com o seu marido, a vítima foi agredida com socos por ele, deixando-a com várias escoriações pelo corpo. Na delegacia, a mulher foi orientada sobre as medidas protetivas oriundas da Lei Maria da Penha. O acusado foi liberado em seguida.