Paranapiacaba, chamada pelos tupis-guarani como “lugar de onde se vê o mar”, é uma vila inglesa pertencente ao município de Santo André. Feita pelos ingleses no final do século XIX para a construção da estrada de ferro Santos-Jundiaí, o pacato vilarejo transpira história por suas ruas e construções. Para aproveitar o clima de férias, o Mauá Agora preparou uma lista de lugares para visitar na charmosa vila.

1. Museu Funicular

No Museu Funicular estão as oficinas, ferramentas e utensílios que utilizavam para fabricação e utilização dos trens. Além de alguns vagões da São Paulo Railway, vagão funerário e o sistema de freios.

2. Museu do Castelo

O ‘Castelo’ ou ‘Mansão’, assim chamado pelos trabalhadores da ferrovia tem uma visão privilegiada da vila, era lá onde morava o engenheiro-chefe da estação. O museu, que é um dos pontos turísticos mais famosos da vila, possuí um acervo da rede ferroviária, relógios e móveis antigos. É um casarão muito bonito, de madeira, da parte baixa dá pra ver ele entre a mata.

3. Passeio pela vila

Caminhando pela Vila você pode descobrir muitas casinhas coloridas, outras de madeira, e também o Antigo Mercadão, a Igrejinha e algumas casas de artesanato. Vale a pena a caminhada, vá com bastante disposição e curiosidade. Você deve ter ouvido falar da neblina maravilhosa que de repente cerca Paranapiacaba, certo? Se você gosta de fotografia, vai amar esse momento. Não deixe de provar a pinga de Cambuci, fruta típica da região.

4. Parque Natural Municipal Nascentes

O visitante pode ainda se aventurar pelas seis trilhas do Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba em meio à Mata Atlântica. No local, encontram-se exemplares de cedros, bromélias e orquídeas, além da fauna silvestre, com sanhaços, beija-flores, pica-paus, tangarás e macucos, entre outros. O parque dispõe ainda de um Centro de Visitantes (Rua Direita, 371, tel. 11 4439-0321), que conta com uma exposição permanente que retrata parte da Mata Atlântica, com réplicas de plantas, animais e suas pegadas. Outra atração são as nascentes do Rio Grande, principal formador da Represa Billings, e que dão o nome à unidade de conservação. As trilhas só podem ser feitas com o acompanhamento de monitores credenciados pela Prefeitura de Santo André.Atualmente o parque possui cinco trilhas abertas a visitação e dois Núcleos de Interpretação Ambiental.

5. Casarões históricos

A Casa Fox, duas casas de trabalhadores geminadas restauradas para divulgar as memórias dos moradores locais (Avenida Fox, s/nº) e o Clube União Lyra Serrano (Avenida Antonio Olyntho, s/nº), onde eram realizados bailes e shows, entre outras atividades. Nestes locais, a entrada é gratuita.

6. Caminho do Sal

Outra opção é o Caminho do Sal, antigo percurso da época colonial brasileira, que cortava a região para o transporte do sal. A atração para o público aficionado em atividades relacionadas ao ecoturismo foi desenvolvida em parceria entre as prefeituras de Santo André, São Bernardo e Mogi das Cruzes. No total, o roteiro tem uma extensão de  53,5  km, entre São Bernardo, a vila de Paranapiacaba e Mogi das Cruzes. O percurso pode ser feito em sua totalidade ou então percorrendo os diferentes trechos que o compõem: o Caminho do Zanzalá(16  km, entre São Bernardo do Campo e Santo André), o Caminho dos Carvoeiros (10 km, em Santo André) e o Caminho de Bento Ponteiro (27,5  km, entre Santo André e Mogi das Cruzes). Os trajetos podem ser percorridos a pé ou de bicicleta. Há sinalização turística, o que permite ao público perfazê-lo por conta própria. Mais informações podem ser obtidas no Centro de Informações Turísticas de Paranapiacaba, no Largo dos Padeiros, tel. 11 4439-0109.

Créditos: Passeios Baratos em SP