Furtos em residências estão sendo recorrentes em Ribeirão Pires. Com isso, a Guarda Civil Municipal (GCM), e as Polícias Militar e Civil seguem a procura de quadrilhas especializadas nesse tipo de crime.

Na última quarta-feira (12), a ROMU, equipe de elite da GCM, prendeu, novamente, dois indivíduos pertencentes a uma das maiores quadrilhas da cidade, denominada“Galo Cego”, após furtarem uma residência na avenida Santo André, região do centro alto. Com eles, havia uma quantia de R$ 500 e alguns equipamentos eletrônicos subtraídos da residência.Segundo a Polícia, a quadrilha, que já contou com até oito integrantes, agora conta com cinco.

Continua Após a Publicidade
Felipe, Leonardo, Jhony, Maicon e Luca já têm diversas passagens pela polícia e continuam cometendo crimes em Ribeirão Pires.

Os suspeitos de integrar a quadrilha são: Felipe Henrique da Silva, Luca Vieira de Souza, Leonardo Lopes Oliveira, Johnny Vicente Aguiar da Silva e Michael da Conceição Bastos. Todos têm mais de uma passagem na polícia por furto de residências. Johnny já tem cinco passagens, sendo quatro por furtos e uma por tráfico de drogas. A justiça decretou a prisão dele após o caso da última quarta. Ele foi preso em flagrante juntamente com Luca, que foi solto após audiência de custódia. São diversos casos da quadrilha.

Em fevereiro, durante o feriado de carnaval, a quadrilha efetuou quatro furtos a residência, com os indivíduos levando jóias, eletrônicos, dinheiro e dois carros. Na ocasião, Leonardo Lopes, o “Galo Cego” e Johnny foram presos com os pertences, um dos dois carros e um tijolo de maconha. Em outubro, quatro deles foram presos após um dos maiores furtos da quadrilha.

Eles entraram em uma casa, localizada na Vila Suíssa, e levaram uma quantidade significativa de jóias, inúmeros eletrônicos e até um carro, encontrado dias depois. Os indivíduos são tão conhecidos pela polícia que, após os furtos, policiais vão até as casas dos membros da quadrilha para recuperar os bens subtraídos das residências. Após um caso em outubro, a equipe do DiárioRP entrou em contato com Luca Vieira de Souza, que fez 18 anos recentemente e já tem duas passagens por furto.

O mesmo disse que “ia largar essa vida” e que “estava fazendo isso pois estava precisando de dinheiro” por ter uma  filha recém-nascida. Porém, voltou a roubar nesta semana. Vítimas e policiais que conhecem aquadrilha se sentem de mãos atadas, já que mesmo com diversas prisões os homens acabam sendo soltos novamente. “É uma total sensação de inutilidade que nós temos, já que prendemos eles e a lei solta. É uma total impotência”, disse um policial que participou de uma das prisões.