Regina Leandro Barreto, 34, está desaparecida desde o dia 2 de outubro quando, de acordo com familiares, saiu dizendo que iria a encontro de seu namorado, Wilians Bertoldo, popularmente conhecido como ‘Dorgô’. A família chegou a dar entrevista a uma emissora de Televisão afirmando que o homem poderia ter  a matado pois, ainda segundo a família, ele já teria a agredido.

Para Regiane, irmã de Regina, ela não descarta essa opção já que, segundo ela, ele já teria agredido a irmã por várias vezes, mas confirma que tem recebido informações de que outras pessoas estariam vendo sua irmã pela cidade. “A gente não sabe se dá pra acreditar porque são pessoas de rua com quem ela vive, ninguém que a gente conheça”.

Em uma das mensagens, um amigo em comum de Willians e Regina  afirma que,  na última quinta-feira (4), viu a mulher em um local de venda de drogas na região do bairro Parque Aliança. Com ela, estaria um outro homem desconhecido. A homem ainda diz que chegou a cumprimentá-la.

Procurado por nossa equipe ‘Dorgô’ desmente que tenha encontrado a mulher na data em que ela desapareceu. Disse que na terça-feira ficou em casa assistindo televisão e no dia seguinte ao desaparecimento da mulher, a mãe dela ligou para ele, questionando se havia encontrado Regina, mas ele negou. “Pode olhar as câmeras ao redor da minha casa. Cheguei às 5 da tarde na terça e não sai mais”, disse.

Sobre as agressões, Bertoldo confirmou que já brigou com a mulher, mas que foi em legítima defesa. “Ela é usuária de Crack, e quando usa fica ciumenta e quer me agredir. Já veio até com garrafa pra cima de mim. Me defendi”, finalizou.

A equipe do Diário de Ribeirão Pires teve acesso as câmeras de segurança da região do bar em que ela foi vista por último, mas em nenhuma delas aparece Dorgô. Regina realmente está com um outro homem, no qual familiares e o próprio namorado tentam identificá-lo. Para a polícia, a mulher é uma pessoa já conhecida, pois tem diversas passagens. Segundo a polícia Civil, pelo menos até noite da última segunda-feira (8) não havia nenhum Boletim de ocorrência sobre o caso.

Em caso de qualquer informação, a família pede que entre em contato pelo telefone: (11)97160-8035. (Falar com Vilma – Mãe)