Os números de assaltos em trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) cresceu consideravelmente. Neste ano, foram registradas oito ocorrências, incluindo roubos, nas linhas 7–Rubi, 10 – Turquesa, 11–Coral e 12–Safira. Em 2017, foram cinco casos.

Segundo informações da CPTM, três registros foram na estação de Utinga. Apesar de não haver ocorrências oficiais informadas pela companhia, a estação Capuava também é relatada por passageiros como um local em que ocorrem roubos e crimes semelhantes, normalmente no período noturno.

Um dos casos ocorreu em 27 de junho, quando três homens anunciaram um assalto por volta de 22h, em um trem que passava pela estação Utinga em direção ao Brás.

A ação ocorre de forma semelhante. Os suspeitos entram em um dos últimos carros (vagões) do trem e dividem-se entre abordar os passageiros e segurar as portas, para que possam fugir na mesma estação. A composição não segue viagem se alguma porta estiver aberta, portanto, os passageiros ficam vulneráveis à qualquer tipo de ação dos criminosos.

Em nota, a CPTM informou a segurança foi reforçada na estação Utinga, com agentes armados. Além disso, a companhia informou que todo o sistema possui 1,3 mil agentes de segurança e vigilantes terceirizados, que fazem ronda durante o dia e à noite nos trens e nas estações. Os agentes podem estar uniformizados ou à paisana.

A Gerência de Segurança informou que possui Central de Monitoramento, que acompanha as imagens das estações em tempo real, por 24h, com aproximadamente oito mil câmeras instadas em todas estações. Quanto aos assaltos, a CPTM informou que os passageiros podem denunciar atitudes suspeitas ou irregularidades por meio do SMS-Denúncia, no número 97150-4949. A denúncia é feita de forma anônima.