Ribeirão é a 1ª cidade paulista a ter projeto aprovado em ação da União

A cidade de Ribeirão Pires foi a primeira do Estado a ser contemplada com o programa Prodetur + Turismo e está próxima de obter R$ 9,5 milhões em investimento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social) para reformar equipamentos públicos.

Continua após a publicidade.

O Ministério do Turismo exibiu no mês de abril, algumas mudanças no programa de incentivo do setor para Estados e municípios, liberando linhas de crédito no valor global de R$ 5 bilhões. Além da proposta de Ribeirão, a Pasta informou que outras 27 sugestões estão sob análise da União e que, se liberadas, resultarão em aporte de R$ 1,3 bilhão.

A aprovação do Ministério do Turismo é um dos passos mais importantes para autorização do repasse para a cidade. A partir de agora, a Pasta encaminhará a documentação já enviada pela Prefeitura para o BNDES, que, por sua vez, analisará se o município tem condições jurídica e financeira de obter o financiamento.

A proposta do governo de Adler Kiko Teixeira (PSB) foi de investimento de R$ 2 milhões para reforma do Parque Pérola da Serra, no Jardim Pastoril, de R$ 4 milhões para revitalização completa do Teatro Euclides Menato, no Centro, e de R$ 3,5 milhões para construção do parque linear na Avenida Valdirio Prisco (antiga Avenida Brasil), com ligação ao Parque Oriental.

A perspectiva da administração do prefeito Kiko, é poder entregar essas obras em conjunto com as intervenções feitas com dinheiro do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) do governo do Estado. Recursos de exercícios passados e vigentes são utilizados para construção de um bulevar gastronômico (custo de R$ 5,8 milhões) e revitalização do Parque Oriental (R$ 4,2 milhões).

“Todas as obras se conversam, todas têm conexão, um começo, um meio e um fim. E tudo faz parte de um planejamento do prefeito Kiko para transformar Ribeirão Pires na melhor estância turística da Região Metropolitana. Fizemos toda nossa lição de casa, buscamos acertar as questões jurídicas, criamos o plano diretor e o conselho municipal de turismo e conseguimos afastar o risco de perdemos o título de estância”, comemorou o secretário de Obras, Taka Yamauchi (PSD).

Conforme regras do Ministério do Turismo, recursos do Prodetur + Turismo precisam “contemplar principalmente projetos na área de infraestrutura turística, saneamento básico, gestão e avaliação ambiental, transporte e mobilidade urbana”. “As diretrizes estratégicas do programa priorizam também ações de qualificação, promoção, apoio à comercialização, pesquisa e inovação, empreendedorismo e parcerias público-privadas.”

Não há um período certo, para que o BNDES encaminhe a liberação de verba para Ribeirão.

Notícias relacionadas